Arquivo de Tag | aula de gastronomia

Pausa para reflexão…

Este post será para fazermos uma pequena reflexão…

Resolvi ter uma “DR” com vocês hoje, acho que estou em crise… Precisamos “amadurecer a relação”, hehehe.

Desde 2011 (mais de 5 anos gente!!) escrevo neste blog. É dessa forma que alimento um pouquinho a minha alma. Dou vazão aos meus desejos de viver única e exclusivamente dedicada à gastronomia. Infelizmente, isto é um sonho muito distante… Trabalhar é preciso, e pagar as contas também. Não dá pra largar o emprego e me lançar em algum negócio incerto. Como vocês já observaram, amo viajar até o meu último fio de cabelo. Como poderia eu viver sem viajar? Me reciclo a cada viagem que faço. Volto outra pessoa. E ninguém viaja de graça, rsrs. Portanto, para me “alimentar” de gastronomia, eu cozinho nos finais de semana, vou a restaurantes (o que tem sido mais raro ultimamente) e experimento comidas diferentes quando viajo por aí. Depois escrevo tudo no blog. Assim, fico relativamente “saciada”, rsrs.

Mas voltemos ao que interessa… meu blog não teve e nunca terá fins lucrativos, mas de uns tempos pra cá, tenho me perguntado: qual o propósito dele além de me saciar a fome de escrever sobre viagens e comidas? Não é um livro de receitas, não é um site voltado para viajantes, nem ensina nutrição ou alimentação saudável. Não há metas específicas nem objetivos pré-determinados. Qual o papel dele afinal?

Aqueles que me seguem há algum tempo, foram testemunhas de que ora estou contando uma viagem (em mil partes, é verdade, rsrsrs), ora criticando um restaurante, ora fazendo um prato ou ensinando uma receita de família. Já escrevi inclusive sobre eventos que organizei, jantares, almoços comemorativos e até aulas que dei. Mas, por que seria importante para meu leitor saber se eu gostei ou não do camarão ao curry vermelho que comi em Phi Phi? Tava uma delíííícia, é verdade, mas… será útil?! Só se ele for a Phi Phi, experimentar também, rsrs. Enfim… acho que nossa “relação” tem que dar alguma guinada… pessoalmente, eu anseio por alguma mudança…

E se eu pudesse colocar em prática o que aprendi em meu curso superior de licenciatura (junto com a experiência adquirida em 10 anos de ensino) para repassar o que mais gosto de fazer e mais entendo? Não me formei em gastronomia para ser a única a usufruir dos conhecimentos que adquiri! Hoje reúno aprendizados diversos tanto em técnicas culinárias, como em variedade de pratos, inclusive de culturas diferentes. Sim… eu realmente adoraria dar aulas de gastronomia para que vocês aprendessem o que sei. Mas aí me falta o principal, hahaha, espaço. Minha cozinha não é adequada pra isto. E pra fazer uma reforma, ou alugar um espaço, eu teria que ganhar na megasena,o que definitivamente não está no meu destino!!

Mas quem não tem cão caça com gato, certo?!! Posso usar o meu blog pra satisfazer este meu mais novo objeto de desejo: dar aulas de gastronomia. Este vai ser agora meu objetivo principal, minha ênfase, minha meta mais importante. Vou encarar umas receitas diferentes (o que não falta lá em casa é livro de receita de tudo que vocês possam imaginar!!). Nem falta plateia pra avaliar minhas receitas: marido, filho, sobrinhos, primos, enteados, sogra, etc. Aqui contarei o que ficou bom, o que ficou ruim, o que pode ser mudado. E vou fotografar o passo a passo.

Não tenho pretensão de publicar receitas impossíveis, muito pelo contrário. Gostaria que qualquer pessoa, mesmo inexperiente, pudesse preparar em casa os pratos propostos aqui. Algumas poderão ser mais difíceis que outras, ou mais dispendiosas, mas a grande maioria deverá ser bem acessível. Tenho receitas familiares que adoro! Algumas, inclusive, já estão aqui, outras acrescentarei. É o caso da receita mais emblemática da família: a “orelha de gato“, publicada em 2012.

Chich Barak, ou “orelha de gato” – receita de família

Vez por outra, vou continuar publicando algumas críticas gastronômicas, afinal, é importante alertar meus leitores para as boas novidades da cidade (e as más!). E nem pensem que se livrarão dos meus relatos de viagem, afinal, alguns são fundamentais e servem de dica para quem vai viajar. Só não serão prioridade agora…

O próximo post, trará a minha mais recente empreitada na cozinha. Seja ela qual for (ainda não decidi). Vou alternar receitas básicas com preparos mais complexos. Salgadas, doces, apimentadas, agridoces, etc, todas terão espaço aqui.

Dentre as receitas que já publiquei, algumas são campeãs de público. Trago abaixo uma lista com as “top 10”, para vocês já se anteciparem e começarem a testar, mas fiquem à vontade para procurar outras no meu menu de “Receitas“.

Ah!! Não esqueça de deixar aqui sua mensagem sobre o que achou de minha nova proposta! Preciso de um feedback! Afinal, isto aqui é uma DR, e preciso saber o que o outro lado tem a dizer :).

Top 10

  1. Uma sobremesa mexicana surpreendente (2014)
  2. Hambúrguer de costela bovina (2014)
  3. Bolo de macaxeira (2012)
  4. Cartola – uma sobremesa tipicamente pernambucana (2014)
  5. Almoço de domingo (Strogonoff) (2011)
  6. Receita de casquinho de caranguejo (2012)
  7. Risoto cremoso de camarão com alho-poró (2015)
  8. Charuto de folha de uva (comida árabe) (2012)
  9. Orelha de gato (comida árabe) (2012)
  10. Pernil de porco com mango chutney (2014)

 

Anúncios

Oficina no TRE-RJ – Ervas Aromáticas

Por ocasião da semana comemorativa do Servidor Público no TRE-RJ onde trabalho, entre os dias 08 e 10/11, recebi um convite para dar uma oficina na área de gastronomia para servidores do Tribunal, a exemplo do ano passado, quando dei uma “oficina de tapas“. Nem preciso dizer que aceitei o convite com enorme prazer!

Oficina de Ervas Aromáticas no TRE-RJ - Foto Juliana Henning

Oficina de Ervas Aromáticas – Foto Juliana Henning (ASCOM TRE-RJ)

Minha turma deste ano contou com 30 pessoas inscritas e alguns “penetras” que foram muito bem-vindos  😀 😀 😀 !! Escolhi o tema “ervas aromáticas“, pois sei da dificuldade que muitas pessoas sentem para incluí-las em seus preparos do dia-a-dia, embora todos saibam que são extremamente saudáveis, com diversas propriedades medicinais comprovadas. Minha ideia era apresentar as principais ervas, aquelas mais comuns, indicar como usá-las, dizer com que combinam mais, e por fim, dar (e preparar) algumas receitinhas básicas para exemplificar.

oficina ervas aromaticas

Apresentando algumas ervas aromáticas – Foto Juliana Henning

Organizei a sala em semicírculo, pois achei que essa disposição seria perfeita para que todos pudessem ouvir e visualizar tudo. E ficamos ali conversando por quase duas horas, trocando conhecimentos. Passei para eles um pouco também de minha experiência pessoal na utilização das ervas. Quando terminei a “parte teórica”, ou seja, a apresentação de cada erva aromática, dei a dica de como preparar um “bouquet garni” (está na apostila!) e pedi que todos se levantassem e preparassem seus próprios bouquets, para levarem pra casa. Foi um momento de descontração.

Alunas (Flávia, Helena e a Juliana, a fotógrafa oficial da ASCOM TRE-RJ) com seus "bouquets"

Alunas (Flávia, Helena e a Juliana, a fotógrafa oficial da ASCOM TRE-RJ) com seus “bouquets”

Alunos prepararam seus próprios "bouquets garnis"

Alunos(as) prepararam seus próprios “bouquets garnis”

Para preparar “ao vivo”, escolhi um exemplo clássico de receita com erva aromática, que por sinal está aqui no meu blog, o “molho pesto de manjericão, uma receita italiana tradicionalíssima. Apesar de ser um preparo simples, requer um pouquinho de técnica para o processamento dos ingredientes, que devem estar em perfeito equilíbrio no que se refere às quantidades. Alguns participantes já tinham até comido pesto alguma vez na vida, mas nenhum deles havia tentado fazer em casa, o que foi ótimo, pois saíram loucos para surpreenderem os amigos e familiares!!!

Como não havia infra-estrutura de cozinha no TRE, levei de casa  a massa (penne) já pré cozida, bem al dente, para que no momento do preparo levasse apenas um banho de água fervente e estivesse pronta para servir. E foi assim que com a ajuda do meu “sous-chef” Robinho (colega e blogueiro do fazsimples.com.br) conseguimos que a massa ficasse suficientemente quente e que o pesto fosse servido no momento em que o molho foi finalizado, de forma que não perdesse os aromas e sabores.

Preparando o molho "pesto" - Fotos Juliana Henning (ASCOM TRE-RJ)

Preparando o molho “pesto” – Fotos Juliana Henning

E aula que se preze tem que ter algum material de referência!! Preparei uma apostila contendo fotografias e descrições de 13 ervas aromáticas, bem como diversas informações sobre suas propriedades medicinais, seu cultivo em casa e sua utilização (em que carnes ou preparos devemos usá-las). Se você quer ter acesso à apostila que preparei, inclusive com todas as receitinhas, baixe aqui. Você vai encontrar inclusive a receita da manteiga de ervas que fez tanto sucesso entre os participantes. Fácil de fazer e super saborosa para acompanhar uma torradinha, ou mesmo um carne grelhada.

oficina ervas aromaticas

Fotos Juliana Henning

Por último, teve degustação de pastinha de ricota, manteiga e pão caseiro. Tudo feito com ervas aromáticas, claro, kkkk.

Servindo a "penne ao pesto" e a manteiga de ervas

Alunos degustam a “penne ao pesto”, pão caseiro, pastinhas e manteiga de ervas

Foi um momento tão gratificante… falo por mim, porque adoro ensinar, acho que está no meu sangue! Ai, Deus, quem sabe um dia realizo meu sonho de ter uma escola de gastronomia!!! :D. Vai que Ele me ouve né?!!….

Obrigada aos meus colegas alunos(as) e assistentes, obrigada à equipe organizadora do evento, obrigada à excelente fotógrafa e jornalista Juliana que me cedeu suas fotos, obrigada aos patrocinadores, obrigada a administração do TRE-RJ!! É sempre muito bom poder compartilhar e trocar experiências. Até a próxima oportunidade!!

 

 

Oficina de Tapas no TRE-RJ

Primeiro grupo que foi formado na Oficina

Primeiros alunos que chegaram para a Oficina (a Heleninha, de avental vermelho, me deu apoio como assistente durante a Oficina)

Dia 28/10 é comemorado o dia do Servidor Público, mas no TRE onde trabalho este dia foi comemorado com diversas atividades que ocorreram entre os dias 04 e 05 de novembro. Fui convidada então pela equipe organizadora dos eventos, para oferecer, fazendo parte das festividades, uma oficina de gastronomia para os funcionários. Topei sem pestanejar. Se tem algo de que gosto muito além de cozinhar, é ensinar a cozinhar :D.

Fiquei completamente livre para fazer o que quisesse, mas eu teria que usar muita criatividade, afinal, não teria uma cozinha disponível. Apenas uma sala de treinamento, com cadeiras, mesas, além de inúteis computadores…

Grupo masculino que marcou presença na Oficina

Grupo masculino que marcou presença na Oficina (o de avental vermelho é o Robson, um dos meus assistentes). Foto do Leonardo Coimbra – ASCOM/TRE-RJ

Resolvi usar o meu forno elétrico reserva que tenho em casa juntamente com meu multi-processador. Ou seja, nada de fogão, panelas e frigideiras. Só o forno. O que é que eu poderia fazer??… huummm…. Foi então que tive a ideia de apresentar algumas “tapas”. Não necessariamente espanholas, claro, mas  sabem aqueles tira-gostos fáceis de fazer e que são capazes de conquistar os paladares mais exigentes?! Escolhi alguns dos meus prediletos, aqueles que faço para receber os amigos. Fiz um pequeno caderno de receitas, com 10 tapas diferentes, e como eu só teria 2 horas de aula, escolhi 4 tapas para fazermos em sala (homus tahine, guacamole, bruschetta de tomate e manjericão e canapé de cebola), e mais duas extras que preparei em casa e levei para que eles experimentassem (babaganoush e pastinha de alho-poró).

Durante a aula ainda contei com dois ótimos assistentes (meus “sous chefs” hehehe): Robson, amigão meu, que tem o blog “Faz Simples” (com ótimas dicas de decoração e culinária) e a Heleninha, que trabalha na Escola Judiciária Eleitoral.

No início da aula me apresentei (muitos dos alunos não me conheciam) e depois pedi para que cada um falasse seu nome, de qual setor era, se tinha alguma experiência na cozinha e porque estava fazendo aquela oficina. A maioria era relativamente inexperiente, mas todos demonstraram bastante interesse e curiosidade em saber mais um pouco sobre o assunto.

Apresentação

Apresentação

Começamos com o homus tahine, que eu mesma preparei, explicando o passo-a-passo. O grão-de-bico já estava cozido, obviamente… Só misturei os ingredientes, processei e em 3 min estava pronto!! No final da aula, ele foi servido com as tradicionais torradinhas que faço de pão árabe com zathar.

Preparando o homus tahine

Preparando o homus tahine

Homus pronto, partimos para o guacamole. Uma “tapa” mexicana deliciosa e saudável, que tem como ingrediente base o abacate (ou avocado, tipo mais utilizado no México). Desta vez, foram eles que botaram a mão na massa. Se você também quer aprender a fazer veja receita aqui! Veja também um jantar mexicano completo que preparei em julho passado!

oficina de gastronomia

Preparo do guacamole

Depois passamos para as bruschettas de tomate e manjericão, que encantaram a todos. Foram muito bem executadas, apesar do forno improvisado… Sim, na locomoção, o forno que eu estava levando de casa quebrou. Tive que usar um mini-forno que eu tinha no meu setor. Apesar de mini, até que deu conta direitinho…

Preparo das bruschettas

Preparo das bruschettas

Por último, os canapés de cebola maravilhosos do meu amigo Chef Dudu, que sempre, sempre, fazem o maior sucesso. Não deu nem tempo de fotografarmos, em segundos foram rapidamente devorados!!

No final da aula, a mesa foi posta, com todos os quitutes. Foi o momento de degustação e de confraternização. Eu estava feliz pela aula e ao mesmo tempo com pena de ter passado tão rápido…

Mesa de "tapas" e confraternização

Mesa de “tapas” e confraternização

Professora, auxiliares e alunos juntos para registro da primeira Oficina de Gastronomia no TRE-RJ

Professora, auxiliares e alunos juntos para registro histórico da primeira Oficina de Gastronomia no TRE-RJ (Foto do Leonardo Coimbra, da ASCOM).

Da experiência, saí completamente realizada, pronta pra próxima!! Agradeço a todos que estiveram presentes neste dia!!

Pensei até em montar um laboratório em minha casa e me dedicar a ensinar gastronomia… aaah quem sabe?!… sonhar não custa nada né?! ;)…