Arquivo de Tag | Molho Taratur

Receita de falafel

O falafel não tem origem muito certa, mas nasceu em algum lugar do Oriente Médio. Embora eu tenha raízes Palestinas, não lembro de ter experimentado um falafel feito por minha avó, que adorava fazer diversas outras guloseimas árabes, tais como kibe, babaganoush, homus tahine, charuto e chich barak. Quase todas essas receitas já postadas aqui. Se você quiser testar algumas delas, veja como fazer clicando na receita desejada:

Homus Tahine (pasta de grão-de-bico), Chich Barak (“orelha de gato”), Babaganoush e Charuto (rolinhos de folha de uva recheados)

O falafel é um bolinho salgado, frito, bem condimentado e que tem diversas variações. Pode ser feito com grão de bico, com fava, ou com uma mistura dos dois ingredientes. Na receita que vou postar aqui, e que foi a que preparei no evento que eu e meu amigo Chef Dudu organizamos mês passado, fiz apenas com favas brancas, compradas na CADEG. Tem pra vender também nas Casas Pedro, aqui no Rio.

falafel

Ele é muito apreciado pelo público vegetariano, e conhecido como “o hambúrguer vegetariano”. É comumente servido no pão árabe, em forma de sanduíche, em diversos lugares mundo afora. Tem um famoso em Paris, o L’As du Fallafel, que não tive oportunidade ainda de conhecer…

Enfim, segue a receita de um ótimo tira-gosto, que certamente vai fazer sucesso entre seus convidados!

Falafel

Ingredientes:

500g de fava branca

1 cebola grande picada

3 dentes de alho

suco de 1/2 limão

1/2 maço de salsinha

1/2 maço de coentro

1 colher sopa de gergelim

1 colher chá de cominho moído

3 colheres de sopa de farinha de rosca

pimenta-do-reino moída na hora

sal a gosto

falafel

Retire as cascas das favas, esfregando-as, uma por uma, com as pontas dos dedos

Modo de preparo:

Deixe as favas numa tigela com bastante água de um dia para o outro (12 horas). No dia seguinte, retire todas as cascas das favas, esfregando-as (uma por uma) com as pontas dos dedos, pois elas ficam praticamente soltas dos caroços. Deixe as favas secarem bem.

Num processador junte todos os ingredientes e bata bem, até que fique bem triturado. Não vai virar uma pasta cremosa, ela fica com uma consistência granulada. Forme bolinhas com as mãos, delicadamente, e depois achate um pouco. Frite aos poucos em óleo bem quente, escorra em papel toalha e sirva com o molho taratur.

Molho Taratur

Ingredientes:

3 colheres sopa de tahine (pasta de gergelim)

suco de 1 limão

1 copinho de iogurte natural

2 colheres sopa de salsinha picada

sal a gosto e água filtrada até dar a consistência desejada (fica cremoso, mas não muito grosso)

Modo de preparo:

Misturar bem todos os ingredientes. Servir em temperatura ambiente, acompanhando o falafel (este deve ser frito na hora de servir!).

Falafel frito com molho taratur

Falafel frito servido com o molho taratur

Anúncios

Almoço árabe preparado pela “Deux Amis”

"Deux Amis", eu e Dudu

“Deux Amis”, eu e Dudu

Este final de semana foi um marco para a “Deux Amis” (Dois Amigos, em francês, uma sociedade que abri com o Chef Dudu, meu amigo e parceiríssimo na cozinha). Organizamos nosso primeiro almoço a quatro mãos, um banquete árabe, para uma família de origem libanesa, num apartamento no Jardim Botânico, em comemoração ao aniversário de casamento do casal anfitrião.

Começamos alguns dias antes, com a definição do cardápio, divisão de responsabilidades e as compras dos ingredientes. Na sexta-feira última, precisei tirar um dia de folga no trabalho e me dediquei exclusivamente a adiantar alguns preparos do almoço. No sábado, eu e Dudu nos encontramos no apto da família e fizemos a finalização de todos os pratos. Foi um sucesso!!

Este foi um cardápio temático, baseado em meus conhecimentos específicos de culinária árabe adquiridos com a minha vó palestina, repassados por minha mãe. Fazer isto me dá um enorme prazer. Muito bom você poder reproduzir e divulgar aqueles pratos com os quais você mais se identifica. Em falar em cardápio temático, todos os anos, em julho, eu faço um jantar temático para o aniversário de minha irmã em Brasília, lembram?! Já publiquei aqui o Jantar Mexicano e a Noite Espanhola.

Eu e Dudu temos uma amizade e uma parceria que vem desde 2006. Temos um site com alguns itens que produzimos por encomenda. Estamos desenvolvendo a ideia de promovermos jantares em nossa própria casa, como alternativa para os amigos e conhecidos que gostam de frequentar restaurantes, mas que estão sofrendo com os altos preços praticados aqui no Rio. Visitem o nosso site, www.deuxamisgourmet.com.br! Para falar direto comigo, clique aqui!

Mas deixem-me apresentá-los ao cardápio árabe que servimos no sábado (os pratos em negrito são os que já publiquei receita aqui no blog, para conferir, basta clicar)…

Entradas:

Pasta de grão de bico (homus tahine) com torradas de pão pita e zatar

Babaganoush (pasta de berinjela)

Kibe cru de carne de cordeiro

Falafel (bolinho frito de fava) com molho taratur (tahine e iogurte)

Entradas árabes preparadas pela "Deux Amis"

Entradas árabes preparadas pela “Deux Amis”

Pratos Principais:

Tabule

Kibe de forno (ou kibe de bandeja)

Kafta de cordeiro

Mjadra (arroz com lentilhas)

Charutos de folha de uva com molho tzatzik (iogurte, alho e hortelã)

Chich Barak (“orelha de gato”, massa recheada de carne com molho de tahine e costela de boi)

Mesa de pratos principais preparados por mim e Dudu

Mesa de pratos principais preparados por mim e Dudu

As sobremesas ficaram por conta da casa, não fomos nós que preparamos.

As receitas do kibe de forno e do kibe cru, vocês encontram no blog Cozinha do Dudu!

Vou aproveitar o tema e ensinar a vocês hoje a fazer o falafel, um bolinho de sabor peculiar, que faço com favas brancas, mas pode ser feito com grão-de-bico também (ou os dois misturados). Sua origem é incerta, pois é consumido em todo o Oriente Médio. A comunidade vegetariana se amarra nessa receita. Ele é conhecido com o “hamburger vegetariano”. É muito consumido também com o pão pita (pão árabe) juntamente com salada e molho, na forma de sanduíche, mas eu como puro, apenas com o molho “taratur”. E a cerveja gelada acompanhando, hehehe.

Falafel

falafel

Falafel, feito com favas ou grão-de-bico

Ingredientes:

500g de fava branca, 1 cebola grande picada, 3 dentes de alho, suco de 1/2 limão, 1/2 maço de salsinha, 1/2 maço de coentro, 1 colher sopa de gergelim, 1 colher chá de cominho moído, pimenta-do-reino moída na hora a gosto, sal, 3 colheres de sopa de farinha de rosca.

Modo de preparo:

Deixe as favas numa tigela com bastante água de um dia para o outro (12 horas). No dia seguinte, retire todas as pelas das favas, elas ficam praticamente soltas dos caroços. Deixe as favas secarem bem. Num processador junte todos os ingredientes e bata bem, até que fique bem triturado. Não vai virar uma pasta cremosa, ela fica com uma consistência granulada. Frite em óleo bem quente, escorra em papel toalha e sirva com o molho.

Falafel frito com molho taratur

Falafel frito com molho taratur

Molho Taratur

Ingredientes: 3 colheres sopa de tahine (pasta de gergelim), suco de 1 limão, 1 copinho de iogurte natural, 2 colheres sopa de salsinha picada, sal a gosto e água filtrada até dar a consistência desejada (não é para ficar muito grosso). Servir em temperatura ambiente, acompanhando o falafel.

 

No próximo post, umas dicas de Gramado-RS, onde estive no feriadão de 7 de setembro. Aguardem!

 

 

Aula de Cozinha Árabe 3 – 22/09/11

Lá na faculdade o pessoal questionou: por que temos tantas aulas de cozinha árabe?? Se as outras nacionalidades (italiana, portuguesa, espanhola, etc) só são duas aulas, por que árabe são 5 aulas??? Eu já sabia a resposta….. rsrsrsrs. É de uma riqueza imensa essa culinária. Até porque engloba todos os países daquela região. Então temos a vertente libanesa, a síria, a israelita, a palestina, etc. E acho que foi uma cozinha toda inventada por mulheres. Mulheres que só tinham isto pra fazer! Normalmente são bastante trabalhosas. É só ter tempo.

Como na quarta-feira não houve aula, o professor Alexandre Selem resolveu fazer uma miscelânea de pratos que faríamos nos dois dias (quarta e quinta) . Nos dividimos em 4 grupos de 4 pessoas. Dois grupos fizeram Linguado ao Forno com Molho Taratur (meu grupo) e os outros dois fizeram Linguado com Pistache. Para acompanhar o peixe podíamos escolher entre o Arroz com Damasco ou Arroz Libanês (com aletria). Nós fizemos os dois tipos de arroz. O de damasco é adocicado, cai bem com um carneiro assado, mas não gostei do casamento dele com o peixe. Enfim, fica ao gosto do freguês.

Peixe ao Forno com Molho Taratur, arroz de damasco e damascos recheados com tâmaras e abrobrinha

Peixe ao Forno com Molho Taratur, arroz de damasco e damascos recheados com tâmaras e abrobrinha

 

Arroz Libanês, com macarrão cabelo-de-anjo dourado na manteiga.

Arroz Libanês, com macarrão cabelo-de-anjo dourado na manteiga.

De sobremesa , fizemos o Ataife (tipo uma panquequinha recheada com nozes) e o Mahmoul (tipo um biscoito recheado com tâmaras e nozes). Este último me traz boas lembranças da infância, eu gostava muito deste doce, que aliás, não é muito doce. Fica muito bom para servir com café (ou chá), ao final de um almoço ou jantar. Eu ia colocar aqui a receita dele, mas pela dificuldade de se encontrar alguns dos ingredientes (tipo o Mahlab – tempero árabe – e a água de flor de laranjeira), resolvi colocar a receita de um bolo árabe que também experimentamos ontem e que achei excelente para uma ocasião especial, uma comemoração de bodas, aniversário ou natal.

Ataife (panquequinhas de nozes, com calda aromática de flor de laranjeira)

Ataife (panquequinhas de nozes, com calda aromática de flor de laranjeira)

 

Mahmoul recheado com tâmara e nozes

Mahmoul recheado com tâmara e nozes

 

Bolo de Frutas Cristalizadas e Nozes

Ingredientes:

1 e 1/2 xícara de águar fervente / 1 xícara de passas pretas sem caroço / 1 xícara de nozes picadas / 1 xícara de frutas cristalizadas / 1 ovo / 2 xícaras de açúcar / 2 colheres de sopa de manteiga / 1 colher de sopa de fermento em pó / 1 colher de chá de sal / 2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo.

Modo de preparo: Ferver a água, colocar dentro as passas, as frutas cristalizadas e a manteiga e deixar esfriar. Misturar os demais ingredientes (ovo, açúcar, farinha de trigo, fermento e sal), acrescentar a água com as passas e frutas cristalizadas, depois as nozes, mexer bem, colocar em forma untada e enfarinhada, levar ao forno médio (já quente). Depois de pronto, desenformar e colocar uma camada de açúcar de confeiteiro por cima, para enfeitar.

É um bolo fácil e muitíssimo saboroso.

Bolo de frutas cristalizadas e nozes

Bolo de frutas cristalizadas e nozes

Bom, aqui me despeço das aulas de cozinha árabe da faculdade. Seriam 5, mas uma delas eu faltei e a outra foi cancelada por falta d’água. Na próxima semana…. tchan tchan tchan TCHAN!!!! Aguardem… será cozinha Japonesa!!! Estou curiosíssima. Certa vez, eu e meu marido fizemos um pequeno curso no SENAC de cozinha japonesa quente. Foi muito legal, aprendemos a fazer rolinho primavera, guioza, arroz japonês, sukiaki, yakisoba, entre outros. Não sei o que vamos ver na faculdade…

Eu e o meu professor, o Chef Alex Selem

Eu e o meu professor, o Chef Alex Selem