Arquivo de Tag | França

Paris – O início da viagem

Já havia ido à Paris 3 vezes, em ocasiões bem diversas. A primeira vez foi em 1993, com apenas 23 anos. Meu coração foi arrebatado por aquela cidade. Impossível não se apaixonar por ela. Não sei a realidade de quem vive lá, principalmente nos dias atuais, onde uma grande onda de imigrantes invade o país e a Europa. A situação dessas pessoas é de cortar o coração…

Mas afora os problemas que toda grande cidade tem, eu diria que Paris é uma cidade “unânime” no que diz respeito aos turistas, pois não há quem não goste dela e não há quem não se sinta absolutamente feliz ao andar por suas ruas, ou à beira do Rio Sena. Ela é um museu a céu aberto. Seus prédios históricos, grandiosos, seu rio imponente, caudaloso, transeuntes bem vestidos, charmosos, seus bistrôs em cada esquina, cadeirinhas nas calçadas… todas essas imagens marcam sua alma pra sempre.

Nossa viagem se iniciou aqui, onde encontramos nossos companheiros de aventura, dois casais queridíssimos. Mas antes de partirmos de carro até nosso destino principal (Mont Saint-Michel), tivemos um dia inteiro para curtir a cidade. Como já havíamos feito turismo a relativamente pouco tempo por lá (há uns 5 anos atrás), resolvemos tirar o dia para fazer umas compras básicas, já pensando em nossa próxima viagem para o Canadá, que já será dia 21 desse mês!!!

Mas antes das compras, havia algo mais importante a fazer: correr!!! É a nossa mania atual, :). Foi de leve: 4 km. Difícil foi aturar o frio nos pulmões: 4 graus. :|. Lado bom: ver o prédio do Louvre livre dos turistas, tirar fotos ao lado da pirâmide sem ninguém pra atrapalhar, assistir ao sol iluminando a cidade aos poucos…

Depois da corridinha, tomamos um café maravilhoso, com “coisinhas” francesas, no apartamento de meus primos, regado a croissants e queijinhos locais. Só então saímos para bater perna. Compramos umas roupas especiais, tipo 2ª pele (de lã, pra suportarmos o frio), luvas, mochilas, meias e casaco (Uniqlo). Passamos “por acaso” na frente da Prefeitura da cidade, da Notre-Dame, do Centro Georges Pompidou.

E andando tanto assim, claro que tínhamos que dar uma paradinha para repor as energias. Um almocinho leve…

Escolhi uma “crêperie”, pois na França se faz crepe como em nenhum outro lugar! Adoro as “galettes” que nada mais são do que crepes salgados (“crêpes salées”) feitos com trigo sarraceno (ou trigo-mourisco). Essas “galettes de sarrasin” têm uma textura diferenciada, mais crocante. É típica da cozinha bretã, mas você encontra em toda a França. Até no Rio tem, e boa! A “Le Blé Noir”, em Copacabana. Não tirei fotos do ambiente do restaurante, peguei na internet, vejam só as referências ao filme Star Wars… Você parece estar em uma nave espacial, rsrsrs. Nada a ver com galettes, mas enfim…

No “formule midi” (cardápio de almoço) do dia, ao preço de 12,90 euros, tinham duas opções de galettes à escolha do freguês, além de uma bebida e duas opções de crepes doces (crêpes sucrées). Minha bebida foi a tradicional para acompanhar a galette: uma deliciosa cidra (você escolhe entre a “sec” e a “demi-sec”). Optei pela galette “Polyphème” com os queijos Emmental, Chèvre (cabra) e Coulommiers (primo do Brie), acrescido de nozes e salada à parte. Estava muito boa, super bem feita e de um tamanho ótimo para uma pessoa. Minha sobremesa foi um crepe com geleia de morango (neste caso, do crepe doce, a massa é com trigo tradicional). Pensei que seriam com morangos frescos, daí fiquei um pouco frustrada… mas valeu :). A de Cláudio foi com nutella. As outras disponíveis não estavam no “formule midi”, eram de muitos sabores diferentes, algumas bem apetitosas, com chocolate derretido, biscoitos, frutas, sorvetes… Vejam o cardápio completo no site do Odyssey.

No final do dia, voltamos para nosso hotel, que por sinal era muito bem localizado, próximo ao Louvre. Indico, pois apesar de ter um quarto pequeno, ele é bem moderno, equipado, organizado e como já falei, super bem localizado. Vocês não vão acreditar, mas chamava-se Odyssey hahahaha. Juro que foi coincidência!!! Não sei se são do mesmo proprietário, mas com certeza, ambos são apaixonados pelo filme Star Wars. No quarto, você também se sente em uma nave espacial, kkkk, confiram as fotos no site do hotel.

À noite saímos pra “balada”. Mentira, rsrs… Na verdade saímos para um “botequim” muito legal, com piano, música ao vivo, sem palco, do tipo bem informal, com uma pessoa ao piano e outra cantando por entre as mesas do pequeno salão. É um bar já bem conhecido dos meus primos, ele mesmo (meu primo) dá uma canjinha ao piano de vez em quando. Chama-se “Aux Trois Mailletz“. Adorei a noite, pois havia uma cantora ucraniana (Alexsandra), cantando óperas, em italiano e francês, inclusive “Carmem”, de Bizet, que amo de paixão. A voz dela era maravilhosa. Tomamos vinho branco e pedimos uma tábua de queijos, além de uma porção de “moules” (mexilhões), que estava, pro meu paladar, um pouquinho salgada…

Ah, no caminho pra lá passando pela “Pont Neuf” próxima a Notre-Dame, flagramos o sol se pondo, imenso e vermelho, no horizonte em cima do Rio Sena, um verdadeiro espetáculo…

No próximo post, vocês vão conhecer o Château de Blavou, lugar onde passamos duas noites, situado dentro de um parque natural, na região da Normandia, a 165 km de Paris. “Très intérresant”!!

 

Anúncios

Férias à vista!!!

Meu último post foi do dia 06/04, estou em falta com vocês, mas estou no clima dos últimos preparativos para uma viagem de férias que começa hoje à noite, para minha grande felicidade \o/. Nada é melhor do que viajar, concordam?!! É para mim uma experiência tão rica, tão fantástica, tão revolucionária eu diria, que nada, nada, pode se comparar. Todas que fiz até hoje, operaram alguma mudança dentro de mim. Volto diferente cada vez que me ausento de casa, da rotina, do trabalho, do dia-a-dia. E o melhor: é irreversível. Nunca mais volto a ser exatamente a mesma pessoa. Ter contato com outras culturas é fascinante!!

Minha próxima viagem será para a França. Já fui algumas vezes lá, cada uma com um roteiro diferente, um momento especial. Mas desta vez será uma viagem rápida, de 10 dias, com o objetivo maior de conhecer o Mont Saint-Michel (Patrimônio Mundial da Unesco), na Normandia, norte do país. E não iremos apenas eu e meu marido. Vamos com mais dois casais, o que pra nós também será algo novo.

Trata-se de uma pequena ilha (e um pequeno monte também) onde foi construída uma abadia (com mais de 1000 anos!!) que os franceses apelidaram de “la merveille” (a maravilha). Na pontinha da torre da Abadia encontra-se uma imagem do Arcanjo São Miguel, daí a origem do nome deste lindo santuário.

O que fascina a todos nesse lugar, é que em alguns dias do ano, na lua cheia, a maré sobe tanto e tão rapidamente, que o que antes era um grande areal em seu entorno, torna-se água. As planícies próximas ao mar, terminam ficando cheias de sal e a grama que cresce fica “temperada”. Por isso, dizem, a Normandia produz os melhores queijos do mundo (inclusive o camembert!). É que as ovelhas, vacas e cabras se alimentam desta grama salgadinha… Vou lá conferir esses queijos, rsrs.

À noite, o Mont Saint-Michel iluminado é algo inesquecível de se ver, pelo menos é o que ouço falar. Ele fica todo iluminado.

Pretendo explorar ao máximo o que a região tem de melhor, em termos gastronômicos, considerando que teremos tão pouco tempo. Tanto a Normandia quanto a Bretanha, onde também passaremos alguns dias, têm uma gastronomia bem peculiar.

Nosso roteiro: Paris (2 dias) – Château de Blavou (2 dias) – Dinan (cidade medieval) – Saint-Malo (2 dias) – Utah Beach (uma das praias do Desembarque Americano na 2ª Guerra Mundial – o famoso dia D) – Honfleur (1 dia) – Jumièges – Rouen – Paris (mais 2 dias). Obviamente que como estaremos de carro, alterações podem ser feitas a todo momento. Na volta, faço um relato mais detalhado!

Enfim, esse post foi mais para avisá-los de minha breve e necessária ausência, hehehe. Em maio estarei de volta, com muitas novidades!!! Aguardem os relatos sobre minhas experiências gastronômicas!!

Viagem à Europa

Cês não têm idéia da ansiedade que estou para viajar !!!! Gostaria de compartilhar aqui. Vamos para a Europa, mais especificamente, à Alemanha, Holanda, Bélgica, Luxemburgo e França. Sairemos do Rio direto pra Berlim e passaremos três dias lá. Seguiremos então para Amsterdam (Holanda) onde ficaremos por mais três dias. Daí pegaremos o carro e iremos até Utrecht, depois Gouda (ééééé! o mesmo nome do queijo, pois é lá que ele é fabricado), Delft, Den Haag (ou Haia), Antuérpia, Brugge (já na Bélgica), Bruxelas, Luxemburgo, Reims (capital da Champagne, na França), Dijon (capital da Gastronomia da França), Fontainebleu e Paris. Ou seja, vou comer muuuuuuuito!!! E tomar muuuuuuitos vinhos!!! E muuuuuitas cervejas!!!

Eu e Claudinho sonhamos com esta viagem há bastante tempo! Pra vcs terem uma idéia, compramos as passagens em abril deste ano. Já estamos com todos os hotéis reservados, carro alugado, e milhões de programas já definidos. Obviamente que já escolhi alguns restaurantes, elenquei algumas cervejas, pensei em alguns vinhos e champagnes, defini alguns pratos típicos pra experimentar. Espero poder conseguir dar conta de tudo que quero fazer. Decidi também que minha viagem terá um foco gastronômico, mais acentuado que nas minhas viagens anteriores. A gente aprende coisas novas, muda muito, e aí todos os nossos valores e prioridades mudam. Cada viagem que fiz, teve um significado diferente. Isto é o que há de mais fantástico que existe na vida. Se eu voltar um dia aos mesmos lugares, será como uma viagem totalmente nova. Não verei os lugares com os mesmos olhos. Iiiihhhh acho que essa filosofia toda é efeito da cuba libre que estou tomando…. rsrsrsrs.

Mas pra finalizar, o negócio é o seguinte: abaixo, segue um mapa do roteiro que faremos (se vc clicar na foto, poderá vê-la ampliada). Eu levarei o meu netbook e vou fazer o possível pra enviar alguns posts durante a viagem, contando as nossas principais experiências gastronômicas. Com fotos, claro. Não perca. Será divertido. Os melhores queijos, vinhos, cervejas, mexilhões, champagnes, salsichas… estarão aqui!!

Nosso roteiro: o trecho Berlim-Amsterdam é de avião, o restante de carro

Sairemos do Rio às 22h da noite, pela Tam, diretamente pra Frankfurt. Levaremos umas 12 horas (haja lexotan!) e depois pra Berlim. Não será fácil. Nunca é. Mas depois tudo é recompensado. Conto com vcs na minha viagem! Beijos!