Arquivo de Tag | claude troisgros

CT Boucherie

Hoje resolvi dar uma pausa na minha viagem da Califórnia para contar a vocês minha experiência no CT Boucherie.

Eu sou fã do Claude Troisgros. Já fui ao Olympe algumas vezes. A cada vez que vou lá, a cozinha está melhor. Ele faz uma mesclagem da cozinha francesa com a brasileira que é uma “marravilha”. Também já havia conhecido o CT Trattorie, no Jardim Botânico, restaurante de massas. Ontem foi a vez de conhecer o CT Boucherie, no Leblon. O ambiente é estilo bistrô, bem agradável, aconchegante.

CT Boucherie do Chef Claude Troisgros

CT Boucherie do Chef Claude Troisgros

O restaurante oferece diversos tipos de carnes grelhadas, inclusive cordeiro, pato, codorna, salmão e porco. Dentre os cortes de carnes bovinas, encontramos o Prime Rib, Bife de Chorizo, Bife Ancho, Chateaubriand (filé mignon), Fraldinha, Picanha, entre outras. Escolhi o Bife de Chorizo (miolo do contrafilé, retirado da parte traseira do boi, a gordura é mais externa) e Claudio preferiu o Bife Ancho (um corte argentino, também retirado do contrafilé, porém, da parte mais dianteira, onde a gordura é mais interna).

Eles trazem para a mesa inicialmente, uma panelinha de batatas chips com louro e alecrim, bem finiiiiiinhas e crocantes. E uma farofa de panko (farinha grossa de pão que vc encontra em lojas de produtos orientais), que estava muuuito boa. Para esperar a carne, pedi uma cuba libre.

Acompanhamentos para a carne do CT Boucherie

Acompanhamentos para a carne do CT Boucherie

Depois então eles servem a carne, num prato grande, com o molho que vc escolheu em uma pequena molheira e bananas fritas. Pedimos a carne “ao ponto pra mal”, e veio na medida certa, ponto pro CT!! Porém, a de Cláudio chegou um pouco fria…

Bife de chorizo do CT

Bife de chorizo do CT

A partir daí a festa de acompanhamentos começou. Ao escolher uma carne grelhada, você tem direito a usufruir do rodízio. Neste dia, as opções eram: ratatouille, chuchu gratinado, legumes na manteiga, arroz maluco, purê de baroa, purê de maçã com maracujá (excelente), quinua cremosa com champignons paris (maravilhosa), couve-flor com pimenta biquinho e tomate recheado com farofa panko. Ufa! Nem deu para eu experimentar todos, terei que votar lá, rsrsrs.

Alguns dos ótimos acompanhamentos do rodízio, no CT Boucherie

Alguns dos ótimos acompanhamentos do rodízio, no CT Boucherie

Por fim, para fecharmos com chave de ouro, pedimos um petit gateau de doce de leite, com sorvete de tapioca e farofa de biscoito. Gente!! Bom demais!! Imperdível. Me arrependi de não ter tirado uma foto do doce de leite escorrendo pelo prato…

Petit gateau de doce de leite com sorvete de tapioca do CT

Petit gateau de doce de leite com sorvete de tapioca do CT

O atendimento é muito bom, eles são eficientes e cordiais. A qualquer momento você pode pedir algum acompanhamento de sua preferência. A idéia é ótima, não?!

Se você também curte restaurantes de carnes e quer conhecer mais alguns cortes argentinos, leia minha experiência em Buenos Aires!

Anúncios

Aniversário do Claudinho, 27/11

Já se passaram 18 dias desde o meu último post. Eu estou com o tempo apertadíssimo! Final de ano, final de curso na faculdade, muitas provas, trabalho pra apresentar, treinos extras, enfim, sabem como é…. e pra completar, final de semana retrasado foi aniversário do meu marido, passei sábado e domingo onde????!!! ….. não precisa ser gênio pra adivinhar: na cozinha, claro. Foram muitas horas de preparação, incluindo as compras, organização da casa, das taças, pratos, etc. Seríamos ao todo 11 comensais.

Comecei no sábado com a preparação das entradas e sobremesa. Fiz uma pasta de grão de bico, a famosa “homus tahine” (que eu já coloquei a receita no post do dia 22/09) e um vinagrete de polvo, que modéstia à parte, ficou ótimo, principalmente nesta época mais quente (que aliás, nem está tão quente assim, felizmente!). Segue a receita do polvo:

Vinagrete de polvo

Vinagrete de polvo

Polvo ao vinagrete:

1kg de polvo bem fresco e limpo

1 cebola grande

1/2 pimentão vermelho

1/2 pimentão verde

1/2 pimentão amarelo

1 pimenta dedo de moça (sem sementes)

1 cebola pequena (pode ser da roxa)

2 tomates

salsinha a gosto

azeite, vinagre de vinho branco e sal a gosto

Modo de preparo: Colocar o polvo inteiro numa panela de pressão com pouca água, uma cebola grande cortada em rodelas grossas e um pouco de sal. Quando a panela começar a “apitar” deixar por 6min, para um polvo “al denti”, 7 min, para um polvo um pouco mais macio (foi o tempo que deixei). Retirar ele da panela e colocar em água com gelo para esfriar rapidamente (assim ele não continua cozinhando). Cortar em pequenos pedaços. Eu prefiro deixar as ventosas, fica com mais cara de polvo e um sabor mais acentuado. Há quem prefira retirar tudo. Aí é uma questão pessoal… Bom, depois é só picar bem picadinhos os ingredientes, misturar com o polvo, acrescentar o azeite, muito azeite (e de boa qualidade por favor!!), um pouco de vinagre e o sal a gosto. Normalmente para um vinagrete eu uso a proporção de 3 partes de azeite para 1 parte de vinagre. Deixar na geladeira por pelo menos 1 hora antes de servir. O ideal mesmo é servi-lo só no dia seguinte, para que tome gosto.

O prato principal, preparado no dia mesmo, foi um super cherne (também conhecido por garoupa). Quase 6kg! Bem fresco, comprado na feirinha de Botafogo, na Rua Paulo Barreto, que acontece todos os sábados. Lavei-o bem, espremi uns 3 limões e espalhei o suco nele todo. Dei uns cortes transversais e temperei com bastante azeite, alho amassado, ervas frescas (alecrim e tomilho), sal grosso moído na hora e pimenta do reino também moída na hora.

O cherne temperado

O cherne temperado

Dentro da barriga dele, botei um monte de galhos de alecrim e tomilho frescos. Esperei uma hora e botei ele pra assar com todo o líquido da marinada, mas primeiramente coberto com um papel alumínio. Depois tirei e deixei dourar. Sem segredos.

O cherne saindo do forno

O cherne saindo do forno

Acompanhou um delicioso arroz negro, uma salada de folhas variadas e tomates cerejas com molho vinagrete de geléia de fisalis (ou Physalis), couve crocante com tomatinhos assados e uma batata de forno com queijo gouda (de Gouda mesmo! lembram? eu estive lá há pouco tempo…).

Acompanhamentos

Acompanhamentos

E para finalizar, servi um torta de limão siciliano que vi no programa “Que Marravilha!” do Claude Troisgros. Se vocês quiserem ver a receita diretamente do site, cliquem aqui. Só achamos que a massa de biscoito não ficou crocante, pois o creme de limão fica muito líquido e termina “encharcando” a massa. Mas o sabor estava ótimo e todos gostaram (eu acho, rsrsrsrs). De qualquer forma, eu havia comprado sorvete para aqueles que não curtem muito uma torta de limão. Deliciem-se!!!

Torta de limão siciliano do Claude

Torta de limão siciliano do Claude