Arquivo de Tag | restaurante em Gramado

Vinícola Ravanello – Gramado/RS

Vinícola Ravanello em Gramado

Vinícola Ravanello em Gramado

Ir a Serra Gaúcha e não visitar ao menos uma vinícola é deixar sua viagem incompleta. Fomos (eu, meu marido e meus sogros) passar o feriadão de 07 de setembro em Gramado e entre outros programas, optamos por conhecer a Vinícola Ravanello, próxima a Gramado, cujo tour é guiado pelo próprio dono, o que faz uma grande diferença! O ideal mesmo, teria sido passar pelo menos dois dias no Vale dos Vinhedos, conhecendo as principais vinícolas da região, mas vai ficar para a próxima oportunidade…

No princípio do tour, ele nos mostra um pouco da propriedade, adquirida em 1987, mas que só começou a produzir vinhos muitos anos depois, em 2010. Há plantações de diversas frutas lá, além de ervas e verduras, como alcachofras, azeitonas, alecrim, manjericão, morangos, maçãs e outras.

Plantação de alcachofras, um arbusto de manjericão e oilveira na Ravanello

Plantação de alcachofras, um arbusto de manjericão e oilveira na Ravanello

Depois ele nos levou até seus vinhedos, todos organizados por tipo de uva (há tintas e brancas). Ele próprio e seus técnicos acompanham todos os processos da produção, desde o plantio, colheita das uvas, fermentação até o engarrafamento. Quando as uvas estão no ponto certo de maturação, são transportadas até a vinícola, desengaçadas, esmagadas e colocadas em tanques de fermentação de aço inox que possuem sistema de controle de temperatura. Alguns dos vinhos ainda vão para barricas de carvalho francesas. Ele possui um laboratório dentro da vinícola, onde os especialistas ficam controlando os tempos ideais de fermentação e de repouso nas barricas.

O Ravanello nos apresenta seus vinhedos, tanques de inox para fermentação e barricas de carvalho onde repousam os vinhos

O Ravanello nos apresenta seus vinhedos, tanques de inox para fermentação e barricas de carvalho onde repousam os vinhos

Garrafas de espumantes ficam inclinadas para sofrerem a rémuage

Garrafas de espumantes ficam inclinadas para sofrerem a rémuage

Seus espumantes são fabricados utilizando-se o método “champenoise”, em que os vinhos saem dos tanques e vão sofrer uma segunda fermentação dentro da própria garrafa, para que o gás carbônico fique “preso” formando as necessárias borbulhas. Neste período, as garrafas ficam inclinadas para baixo, sofrendo rotação diária, processo chamado de “rémuage”, para que os sedimentos do vinho desçam aos poucos até o gargalo da garrafa. Posteriormente os sedimentos são retirados e os espumantes recebem um “licor de expedição”, que repõe um certo teor de açúcar, dependendo de que tipo de espumante que se quer. Nós degustamos um “brut”, que tem muito pouco açúcar. Estava delicioso, mas eu sou suspeita… apaixonada por espumantes bruts!!

Degustamos alguns de seus tintos também, entre eles se destacou o vinho produzido com a uva “Teroldego”, que eu nunca tinha ouvido falar. Segundo informações que encontrei na internet, ela é oriunda e ainda cultivada em regiões italianas, justamente de onde saíram os imigrantes que vieram para o Brasil no final do século 19. Gostei tanto do vinho que comprei uma garrafa para tomar aqui no Rio, em alguma ocasião especial.

Eu e Ravanello, na loja de vinhos da Vinícola e seu vinho emblemático, Teroldego 2012

Eu e Ravanello, na loja de vinhos da vinícola e seu vinho Teroldego 2012

Ravanello ainda tem um “Espaço Gourmet” em sua vinícola, para eventos diversos, que inclui uma cozinha super bem estruturada e moderna. Ao final do tour, posou para uma foto comigo, na loja onde expõe os vinhos que produz. E conversa vai, conversa vem, começamos a falar de restaurantes em Gramado. Ele então nos indicou o Malbec (tinha que ser um com nome de uva, kkk), que servia um carneiro maravilhoso. Eu não podia desprezar a indicação de um enólogo (e enófilo), então corremos para o tal restaurante. Pedimos a paleta, que vem acompanhada de legumes grelhados (batata, abóbora e abobrinha), farofa e alguns molhos. Muuuuuito boa!! Recomendo!!

Restaurante Malbec em Gramado. Recomendo a paleta de cordeiro!

Restaurante Malbec em Gramado. Recomendo a paleta de cordeiro!

Leia outras dicas e sugestões de passeios em Gramado, nos links abaixo:

Gramado-Parte 1 (hotel que ficamos e dicas de Canela)

Gramado-Parte 2 (passeio de Maria Fumaça e restaurante em Bento Gonçalves)

Restaurante Bouquet Garni em Gramado (crítica completa!)

Anúncios

Restaurante Bouquet Garni em Gramado

Igreja Matriz de São Pedro, no centro de Gramado

Igreja de São Pedro, no centro de Gramado

Mês passado, aproveitando o feriadão de 07 de setembro, fomos eu, meu marido e meus sogros, a Gramado, na Serra Gaúcha. Um cidade pequena, com forte influência alemã e italiana. Podemos perceber isto na arquitetura das casas, na gastronomia local, na aparência física, nas vestimentas e nos valores culturais de seus moradores.

A gente se sente na Europa, não só pelo clima, mas pela educação das pessoas, pelo cuidado com as ruas e jardins e com o patrimônio cultural. Já tinha ido lá uma vez, e não hesitarei em voltar numa outra oportunidade…

Em nosso primeiro dia, temperatura super confortável na casa dos 20º, fomos conhecer o centro da cidade, incluindo a rua Coberta, a Igreja Matriz de São Pedro e toda a Avenida Borges de Medeiros, a principal, repleta de lojas, restaurantes, chocolaterias, hoteis…  Veja mais detalhes em meu post Gramado – Parte 1. Hoje vou me limitar a detalhar um pouco mais o nosso ótimo almoço no Restaurante Bouquet Garni (que aliás foi uma sugestão de uma grande amiga que conhece Gramado na palma da mão).

Ele fica na beira do Lago Joaquina Rita Bier, o que proporciona uma vista super simpática, através dos vidros do salão do restaurante. Funciona no local há mais de 10 anos e tem uma pegada contemporânea. Preza pela utilização de produtos frescos e carnes nobres. Como fomos na hora do almoço, o cardápio completo não estava disponível, mas havia um “menu confiance”, em que era possível escolher entre 5 opções, o seu prato principal. A entrada e a sobremesa eram fixas. Como nenhum de nós tinha qualquer restrição, aceitamos o menu. E para aguardarmos os pratos, nada melhor que uma boa cerveja local, a Rasen, pilsen, estupidamente gelada.

Menu do almoço do Bouquet Garni, o salão e a ótima cerveja local Raisen

Menu do almoço do Bouquet Garni, o salão e a ótima cerveja local Raisen

Meu marido e minha sogra arriscaram o lombo de cordeiro. Eu escolhi o mais leve, o linguado. Meu sogro pediu o Filet. Como podem ver no Menu acima, de entrada saboreamos uma tapenade de salmão com salada bem fresquinha, com folhas diversas e brotos. Deliciosa. Pistaches crocantes com raiz forte (wasabi) enfeitavam o prato e davam um toque original.

Tapenade de salmão

Tapenade de salmão

O cordeiro estava perfeito. Macio e saboroso. O purê de pera harmonizou perfeitamente. Meu linguado foi servido num molho de abacaxi e também estava muito bom, mas confesso que fiquei com inveja do cordeiro, hahaha. Meu sogro também gostou muito do filet, veio no ponto certo, mas os crisps de presunto de parma estavam duros demais. Foi o único defeito que conseguimos encontrar.

O linguado, à esquerda, e o carneiro, à direita, estavam excelentes!

O linguado, à esquerda, e o carneiro, à direita, estavam excelentes!

A sobremesa tava uma perfeição só. Vocês sabem que não sou fã de doces, mas estava tão bom, mas tão bom, que eu comi inteirinha :). Era uma cheesecake de chocolate branco com frutas vermelhas silvestres. Depois dessa comilança toda, pedi um chá de maçã verde, que veio acompanhado de pétalas de rosa cristalizadas… um amor!

Cheesecake de morango e um chazinho digestivo

Cheesecake de morango e um chazinho digestivo

Tive que chamar o Chef né?! Fred dos Anjos era o nome dele. Eu não poderia sair sem elogiá-lo pessoalmente. Super simpático, baiano, contador de histórias, havia morado na China, Hong Kong e Tailândia! E ele me pareceu tão novo para ter vivido tanto e já estar fazendo uma cozinha tão competente. Virei fã, kkk. Se quiserem saber mais um pouquinho sobre ele, descobri que tem um site pessoal, o freddosanjos.com.br.

Eu e o Chef Fred dos Anjos

Eu e o Chef Fred dos Anjos

Só pra complementar, queria dizer que o serviço do restaurante foi muito bom, atencioso e eficiente. O custo benefício foi excelente, principalmente comparado aos preços abusivos dos restaurantes aqui do Rio de Janeiro. Abaixo, foto que tirei em frente ao restaurante no último dia que passei em Gramado. Em breve, vou publicar outros posts aqui no blog, com diversas dicas da cidade de Gramado e de Canela, continuem acompanhando!!

Em frente ao Restaurante Bouquet Garni

Em frente ao Restaurante Bouquet Garni