Arquivo de Tag | nirá

Risoto de camarão com nirá e açafrão-da-terra

Eu e minha mania de risotos 😀 😀 😀 . E de camarão, pra variar!! Mas é que é tãããão gostoso, tão prático, tão democrático, tão bonito, que não tem como dar errado, não tem como alguém não gostar!! A não ser que seja alguém alérgico a camarões… Aí é só substituir por tirinhas de frango 😀

Recebi alguns amigos no sábado e aí foi aquela coisa meio improvisada outra vez. O que é que eu tinha no freezer dando sopa?!! Camarão. E melhor: já descascado, e com as casquinhas reservadas, pra fazer o caldo. Este é o pulo do gato em matéria de risotos: o caldo. O ideal é que você o prepare em casa.

O açafrão que utilizei na receita é o “açafrão-da-terra“, também conhecido por cúrcuma (não é o açafrão utilizado na “paella”, que é extraído dos estigmas de flores). Trata-se de um pó amarelo, proveniente da raiz de uma planta da família do gengibre. Ele confere uma linda cor amarela aos pratos. É comum na culinária indiana. Pode ser usado em caldos, maioneses, sopas, peixes cozidos, feijões e ensopados de um modo geral. Estudos indicam que ele traz benefícios à saúde, principalmente no combate ao câncer e ao mal de Alzheimer. Tem poder anti-inflamatório. Maravilha então, podemos unir o útil ao agradável!!

Açafrão-da-terra ou cúrcuma (foto da Wikipédia)

Então vamos à receita improvisada que deu bem para 5 pessoas:

Risoto de Camarão com Nirá e Açafrão

Ingredientes:

  • 1,2 kg de camarão médio
  • 4 dentes de alho
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • azeite para fritar os camarões
  • cascas dos camarões
  • 1 cenoura pequena
  • 2 cebolas
  • 1 folha de louro
  • 1 alho poró
  • 350g arroz arbóreo (próprio para risoto do tipo “italiano”)
  • 1 xícara de vinho branco seco
  • 1 colher sopa cheia de açafrão-da-terra (cúrcuma)
  • 1 maço de nirá (também chamado de alho japonês)
  • 2 colheres sopa de queijo parmesão
  • 100g de creme de leite
  • 50g de manteiga gelada

Modo de preparo:

Descascar e limpar os camarões. Depois temperar com dois dentes de alho amassados, sal e pimenta do reino a gosto. Reservar.

Em uma panela, colocar as cascas dos camarões, a cenoura fatiada, 1 cebola fatiada, o louro e folhas do alho poró picadas (parte mais verde). Se você quiser, pode acrescentar alguma erva aromática, como alecrim fresco, tomilho… Acrescentar bastante água (em torno de 1 litro) e deixa fervendo em fogo baixo por uns 30 min, para apurar o caldo. Coar e reservar.

Numa frigideira grande com azeite, grelhe rapidamente os camarões, deixe-os levemente dourados. Reserve.

Picar 1 cebola e 2 dentes de alho (finamente) para o arroz. Picar também o nirá, em pedaços de uns 2 ou 3 cm.

Numa panela funda (melhor que seja de fundo triplo) colocar azeite. Fritar primeiro o alho, deixando-o dourado e depois acrescentar a cebola. Refogar um pouco e depois incluir o arroz. Refogar mais um pouco e acrescentar o vinho branco.

Mexer até secar o vinho, depois juntar o nirá e o restante do alho poró em pequenas rodelas (parte mais branca, do caule). Misturar um pouco e começar a acrescentar aos poucos, com ajuda de uma concha, o caldo de camarão, que deve estar bem quente (deixar em fogo bem baixinho para manter a temperatura até o fim do cozimento do arroz). Neste momento, acrescentar também o açafrão.

Na metade do cozimento do arroz, juntar os camarões, raspando a frigideira, para entrar o caldo (e alho) que restou de sua fritura. Mexer com delicadeza e continuar acrescentando o caldo. De vez em quando experimente, para não deixar o arroz cozinhar demais, ele deve ficar al dente (levemente durinho).

Acrescentar o creme de leite e o queijo parmesão ralado quando estiver praticamente pronto. Misturar bem, colocar mais um pouquinho de caldo, deixar o arroz úmido e cremoso.

Ao desligar o fogo, acrescentar a manteiga e mexer delicadamente. Ele ficará num tom dourado e brilhoso.

Sirva imediatamente. Disponibilize na mesa um bom azeite, parmesão ralado e pimenta do reino.

Para harmonizar, seria excelente um vinho branco gelado, encorpado, de repente um bom Chardonnay. Eu adoro vinho verde também, neste dia estava tomando um Casal Garcia. Mas vinho é pessoal, cada um tem um gosto, portanto, combine com o que você preferir!

Ah! E se você é como eu e também adora nirá, segue outra receita que fiz recentemente com este ingrediente: Macarrão bifum com camarão e nirá.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Macarrão bifum com camarão e nirá

Pegando carona no sucesso de meu post anterior (Frango à Espanhola), e no sucesso que a foto acima fez em meu facebook e instagram, trago hoje uma receita exótica/oriental com macarrão bifum. Já ouviram falar?! É aquele macarrão beeeeem fininho feito de arroz, muitíssimo utilizado na culinária chinesa, japonesa, tailandesa, enfim, em toda a cozinha oriental. A vantagem dele, para alguns, é que não tem glúten, já que não é feito com farinha de trigo. Para mim, o interessante é a consistência e o sabor neutro, permitindo que qualquer proteína, ou simplesmente legumes grelhados, combinem com ele perfeitamente. Usei este abaixo (que é nacional):Mas é que sábado passado baixou um espírito japonês em mim!! Quem me segue no Instagram (luhazin) viu as fotos, rsrsrs. Fui na feira da Paulo Barreto logo cedo e comprei um belo de um salmão fresquinho (a R$ 65,00 o kilo não podemos nos dar ao luxo de fazer isto todos os finais de semana….). Arregacei as mangas, peguei minha faca de cerâmica e fiz sashimi, sushi, hot roll (hot Philadelphia), guioza (que um amigo levou) e este macarrão que improvisei na hora (eu já tinha tomado todas, rsrsrs). Foi um verdadeiro festival. Ainda finalizei com um fondue de chocolate com licor de avelãs, mas isso já é oooooutra história…

Apesar da macarronada ter sido improvisada, bem que deu certo viu?!!! Segue abaixo o passo-a-passo, mas as quantidades não estão assim tãããão milimetricamente medidas… pois eu já tinha tomado pelo menos umas 5 cervejas e ao menos dois cálices de saquê, hahaha. Portanto, eu posso ter botado um pouquinho mais, ou um pouquinho menos, mas podem crer que o resultado final não vai ser muito diferente!!

Vamos lá… Ingredientes:

  • 1 pacote 500g de macarrão bifum (pode ser o nacional!!)
  • 1 kg de camarão
  • 2 dentes de alho
  • pimenta do reino a gosto
  • sal a gosto
  • 1 pimenda dedo-de-moça (eu não botei mas fez muita falta!!!)
  • azeite para refogar o camarão
  • 2 maços de nirá (também chamado de alho japonês, é da mesma família do alho e da cebola!)
  • 1 colher sobremesa de gengibre fresco ralado
  • Molho tonkatsu (1/2 xícara)
  • Molho shoyu (1/2 xícara)
  • Saquê licoroso Tozan Mirim (de 1/2 a 1 xícara)
  • 5 a 10 gotas de óleo de amendoim (tem que ser com parcimônia!!)

Obs: Esses produtos (bifum, tonkatsu, saquê Mirin) vocês podem encontrar em lojas que vendem produtos orientais, ou nas Casas Pedro aqui no Rio. Caso queiram se aventurar na cozinha japonesa, aproveitem e já comprem outros itens que valem a pena, como o arroz japonês para sushi, nori (folhas finas feitas com algas marinhas para fazer hot philadelphia e outros rolls), vinagre de arroz (para temperar o arroz), raiz forte em pasta, shoyu, e muito mais…. tem até guiozas prontos!

Modo de preparo:

Descasque, limpe e tempere os camarões com o alho amassado, pimenta do reino e sal. Reserve nesse tempero por pelo menos 20 min.

Lave o nirá e pique-o em pedaços de uns 3 cm. Lave a pimenta dedo de moça, retire as sementes e pique o mais fininho possível.

Leve uma panela grande com água para ferver.

Numa frigideira grande, coloque azeite, espere esquentar e coloque o camarão para grelhar. Logo depois, acrescente o gengibre ralado, a pimenta dedo de moça e o nirá. Refogue mais um pouco e desligue o fogo.

Quando a água estiver fervendo, acrescente sal, deixe levantar fervura novamente e acrescente o macarrão bifum. Mexa bem para ele não grudar.

Enquanto ele cozinha, prepare uma tigela com água gelada e pedras de gelo. Quando o macarrão estiver “al dente” (firme), escorrer e jogar dentro desta tigela com água e gelo. Deixar ele esfriar por completo e então escorrer outra vez.

Volte à frigideira. Ligue o fogo e acrescente os molhos tonkatsu e shoyu, bem como o saquê. E gotas do óleo de amendoim. Misture tudo, deixe ferver e acrescente o macarrão. Incorpore bem todos os ingredientes. Sirva em seguida.

O molho fica um pouco adocicado, devido ao Tonkatsu e ao saquê Mirin, em contraste com o shoyu que é bastante salgado.

Acompanhado de saquê gelado, ou um vinho branco, este prato ficará perfeito!!