Arquivo de Tag | fishermans wharf

Highway 1 – De São Francisco a Carmel

Em algum lugar da Highway 1, entre São Francisco e Monterey

Em algum lugar da Highway 1, entre São Francisco e Monterey

Voltando aos meus relatos de viagem…

Deixamos São Francisco rumo à Carmel, pela tradicional Highway 1, a rodovia que cruza praticamente toda a Califórnia, sempre beirando o mar. Fizemos o trecho de São Francisco até San Diego, em três dias. No primeiro dia fomos até Carmel; no segundo, até Santa Bárbara; e no terceiro e último, até San Diego.

No caminho para Carmel, paramos em Monterey para almoçar, daí escolhi o Fisherman’s Wharf, que da mesma forma que em São Francisco, o píer reúne um punhado de bons restaurantes de frutos do mar. Mais uma vez usei o meu faro e escolhi o Big Fish Grill bem no final do pier, com belas vistas do mar e do porto. Ainda tivemos que esperar uns 15min no bar do restaurante, o que não foi nenhum sacrifício, pois pude saborear tranquilamente uma Budweiser gelada. Nos deram depois uma mesa na janela, não poderia ter sido melhor.

Fisherman's Wharf de Monterey e restaurante Big Fish Grill

Fisherman’s Wharf de Monterey e restaurante Big Fish Grill

O prato mais famoso da casa é o “Big Fish Cioppino”, uma grande mistura de frutos do mar no molho de tomate, servido com pães tostados com alho. Uma delícia!!!! Adorei. Meu marido preferiu um peixe mais comportado (Swordfish Steak), com purê de batatas e molho de lagosta e estragão (erva muito utilizada para temperar peixes e frutos do mar).

Peixe grelhado ao molho de lagosta e estragão, e o menu do Big Fish Grill

Peixe grelhado ao molho de lagosta e estragão, e o menu do Big Fish Grill

O "Big Fish Cioppino", carro-chefe da casa.

O “Big Fish Cioppino”, carro-chefe da casa

Ainda em Monterey, fomos até o Lover’s Point, um local bem bonito, com um pequeno parque à beira mar, com belas rochas e muitas gaivotas. Pena que neste momento o sol não estava ajudando muito…

Lover's Point, em Monterey

Lover’s Point, em Monterey

De Monterey, fomos até Carmel, onde pernoitaríamos. Fiquei encantada com nossa pousadinha! The Sandpiper Inn, super charmosa (os quartos só são um pouco apertadinhos). Num bairro de casas lindas, bem próxima à praia. Como chegamos no final do dia, nos ofereceram um delicioso “chá da tarde”, com biscoitos diversos e um vinho do Porto que ataquei de imediato, rsrs. Afora que estava relativamente frio e a lareira estava acesa…

Pousada Sandpiper Inn em Carmel. Um charme só!

Pousada Sandpiper Inn em Carmel. Um charme só!

Deixamos nossas malas no hotel e fomos direto até a Missão Carmel, uma das 21 missões construídas na Califórnia pelos franciscanos espanhóis entre 1683 a 1834, de Sonoma até San Diego, com o objetivo de catequizar os índios. O Padre Junípero Serra foi quem construiu a maioria delas. A missão Carmel foi construída em 1770 e é em sua igreja que está sepultado o Padre Junípero.

Praia de Carmel e Missão Carmel, fundada em 1770

Praia de Carmel e Missão Carmel, fundada em 1770

Nem tivemos oportunidade de curtir um pouco a praia. Até porque a água pode ser azul, cristalina e tal, mas é absurdamente gelada!

Já leu meus posts sobre São Francisco?! Foram dois: São Francisco – Califórnia e São Francisco – 2ª Parte

Você tem um lado aventureiro?! Então leia meu post sobre o Yosemite Park.

No próximo post, não perca o segundo trecho da Highway 1, entre Carmel e Santa Bárbara!!

São Francisco – Califórnia

A cidade de São Francisco merece um post só pra ela. Talvez dois, quem sabe três, hahaha… vamos ver…

Sem dúvida, a cidade mais atraente que conheci na Califórnia. Ela tem muito charme. Muitas opções de lazer, muitos restaurantes maravilhosos e um povo bem simpático, descontraído. Passamos três dias e diria que vimos o essencial. Não fiz o tour tradicional até a ilha de Alcatraz, mas não podemos ver tudo né?!! Tem que ficar com aquele gostinho de “tenho que voltar”. Preferi gastar um bom tempo só curtindo os graciosíssimos leões marinhos no Pier 39, local que está sempre apinhado de turistas, e onde você encontra muitos restaurantes, bares e lojinhas de souvenirs. E até uma feira de frutas locais. Enlouqueci com os lindos morangos e cerejas.

Pier 39, São Francisco

Pier 39, São Francisco

Dali a alguns metros de distância, você chega no Fisherman’s Wharf, um local também repleto de restaurantes. Muitos frutos do mar frescos, preparados na hora, são expostos em balcões que dão para as calçadas, de modo a seduzir os clientes. Como já havíamos almoçado em Berkeley, fiquei só na vontade… rsrs.

Fisherman's Wharf em São Francisco

Fisherman’s Wharf em São Francisco

Golden Gate Bridge

Fort Point e a Golden Gate Bridge

No segundo dia, fiz em São Francisco um dos passeios mais legais de toda a viagem. Fomos de bicicleta até Sausalito, cidadezinha que fica do outro lado da Ponte Golden Bridge. Você pode alugar uma bike numa das diversas opções próximas ao Fisherman’s Wharf.

Alugamos duas bikes com a San Francisco Bicycle Rentals, $25 por pessoa, para passar o dia inteiro com elas. Mas nosso passeio durou umas 2 horas. Saímos pela beira-mar, atravessando o Marina District, o parque do Presídio, até Fort Point, aos pés da Ponte Golden Gate.

Dali começa uma boa subida, até o mirante da Ponte, onde começa então a nossa travessia até o outro lado. Daí pegamos a beira-mar outra vez e chegamos em Sausalito, dessas cidadezinhas que parecem viver do turismo, com uma rua super charmosa, cheia de boutiques finas, restaurantes e hotéis. Há uma marina de onde saem constantemente barcos que levam o ciclista de volta até São Francisco (Pier 39).

Restaurante Scoma's em Sausalito

Restaurante Scoma’s em Sausalito

Quando chegamos em Sausalito, estávamos famintos. Deixamos as bikes em estacionamento próprio e saímos caminhando. Segui meu faro infalível e escolhi um “restaurante-pier” chamado Scoma’s, em cima, literalmente, da baía. Seu cardápio era enxuto e com opções de sanduíches leves. Pedi uma Sierra Nevada (cerveja da Califórnia mesmo), ótima. Para comer, Cláudio escolheu um “crab cake burger”, ou hamburguer de “caranguejo”; eu fui num sanduíche de atum, o “seared ahi tuna sanduwich”. O peixe é apenas levemente grelhado. Vem acompanhado de salada de repolho com maionese de wasabi, e fatias finíssimas de gengibre (parecidas com aquelas servidas em restaurantes japoneses). Vejam o “lunch menu” abaixo…

Menu do Scoma's e a cerveja californiana Sierra Nevada

Menu do Scoma’s e a cerveja californiana Sierra Nevada

sausalito

O Crab Burger e o Tuna Sandwich, do Scoma’s em Sausalito

Lombard Street, em São Francisco

Lombard Street, em São Francisco

Pegamos um ferry de volta até o Pier 39, visitamos o Japanese Tea Garden, no Golden Gate Park, depois fomos na Lombard Street, no famoso trecho onde ela faz um zigue-zague, e que lhe deu o título de “rua mais sinuosa do mundo”.

Não percam o próximo post com mais dicas imperdíveis de São Francisco!

Se ainda não leram os outros posts que fiz sobre a Califórnia, cliquem abaixo:

Yosemite Park, Napa Valley e Berkeley