Arquivo de Tag | cidade do porto

Restaurante ODE – Porto Wine House

 

Largo do Terreiro - Ribeira, Porto

Largo do Terreiro – Ribeira, Porto

Quando fiz a reserva de meu apartamento em Porto (Ribeira Apartments), a proprietária Anabela me enviou um email, dando-me as boas vindas, dicas, vídeos, fotos e orientações diversas. O que aliás, foi muito útil e simpático da parte dela!! Entre outras coisas, pedi sugestão de um bom restaurante contemporâneo. Ela me indicou o ODE Porto Wine House (Largo do Terreiro, nº7, Ribeira), dizendo que era o melhor da cidade. Pedi que fizesse reserva em meu nome, o que ela fez prontamente.

Entradinhas...

Entradinhas…

Depois de um dia cultural bem corrido e almoço em Matosinhos, seguido de um passeio de barco pelo rio Douro, chegamos lá no Ode um pouco atrasados, mas graças a Deus não perdemos a mesa, apesar da “reprimenda” que levamos, rsrsrs. O dono e Chef da casa, o Cristóvão, nos recebeu pessoalmente e nos levou ao primeiro andar, onde havia um pequeno e aconchegante salão, com umas 5 ou 6 mesas. Nos colocou de frente pra janela, de onde eu podia ver o Douro, e… a lua cheia!!!!!!

De entrada, nos serviu vários “pedacinhos” de Portugal. Manteiga da Ilha Terceira, Azeitonas e azeite de Freixo de Numão, um queijinho de ovelha de Évora, um salpicão de porco bísaro (nome da raça) de Melgaço, e pão de Bragança e Avintes. Para acompanhar, escolhi um bom vinho do Douro, claro.

Bacalhau fresco da Islândia

Bacalhau fresco da Islândia

De principal um soberbo bacalhau fresco da Islândia. Macio, saborosíssimo. Feito no forno com batatas assadas e grelos (folhas…). Cláudio pediu um polvo do Algarve que tive que chamar o chef pra perguntar como ele havia conseguido uma consistência tão esplendidamente macia. Ele me contou que cozinhava a 80 graus, por 2 horas. Seu fogão é elétrico, dá pra botar na temperatura que quiser. Pensei em fazer isto, mas teria que ser no meu forno, não sei se daria certo. Um dia experimento!

 

Polvo do Algarve e batatas ao murro

Polvo do Algarve e batatas ao murro

De sobremesa, pedi um pudim que estava no cardápio assim: “pudim de minha avó Dulce”. Não podia dar errado!! Claudio escolheu “vulcão de chocolate com ártico de tangerina”!!!! Ah, e obviamente, um vinho do Porto Reserva Tawny pra acompanhar. Aliás, o Chef foi muito generoso com o vinho, pois o que seria uma taça apenas, foram três, rsrsrsrs (quem mandou deixar a garrafa na minha mesa!!!!!).

"Pudim da minha avó Dulce"

“Pudim da minha avó Dulce”

Ao final do jantar, ele concordou em tirar fotos com a gente, e de quebra ainda me deu um autógrafo em sua carta de boas vindas. Que gentil!!!

Recomendo com ênfase, a quem for ao Porto, ir ao Ode, sem esquecer de reservar antes, e chegar na hora!!!

Ora pois!!

Vulcão de chocolate com ártico de tangerina

Vulcão de chocolate com ártico de tangerina

Eu, Cláudio e o Chef Cristóvão

Eu, Cláudio e o Chef Cristóvão

 

Cidade do Porto

Famosos barcos "rabelo" que transportavam vinho do Porto, no rio Douro

Famosos barcos “rabelo” que transportavam vinho do Porto, no rio Douro

Hoje vou levar vocês até a cidade do Porto, em Portugal, uma cidade encantadora, principalmente para os amantes de vinho do Porto. Confesso que eu nem era fã deste vinho, mas não porque não gostasse dele, mas simplesmente por não ter lhe dado importância (até agora). Vinho que vim a experimentar ainda criança, nos dias em que tomava chuva ao voltar da escola… Meu pai era médico e acreditava (ele estava certíssimo!!!) que o vinho do Porto cortaria qualquer gripe que sonhasse em se instalar. Não sei de que marca era, nem há quanto tempo ele estava ali guardado no armário da sala… Agora, mais de 30 anos depois, tendo oportunidade de conhecer a fundo, e in loco, todos os detalhes da fabricação desse vinho tão especial, e tendo degustado alguns diferentes tipos, não o dispensarei jamais! Levanta qualquer sobremesa!

O dono do restaurante A Grade e a senhora simpática que nos atendeu

O dono do restaurante A Grade e a senhora simpática que nos atendeu

Mas vamos lá. Eu e meu marido chegamos em Porto no último dia 15 de outubro à tarde. Deixamos nossas coisas no hotel e pegamos logo uma dica para almoçarmos. Estávamos famintos. Fomos no pitoresco restaurantezinho familiar “A Grade” (Rua de São Nicolau, 9), na Ribeira. Pequenino e aconchegante, com ótimo atendimento. A senhora que nos atendeu (cuja vó era de Minas Gerais!!)  trouxe de entrada um polvo ao vinagrete que estava muito bom, super macio. De principal comemos um excelente bacalhau e camarões grelhados com arroz de grelo (uma folha!!!! muito utilizada pelos portugueses, kkkkk). E pra fechar, um “leite creme”, tipo um crème brulée.

Vinagrete de polvo d'A Grade

Vinagrete de polvo d’A Grade

Bacalhau crocante com batatas (Bacalhau à Grade)

Bacalhau crocante com batatas (Bacalhau à Grade)

Camarões grelhados

Camarões grelhados

 

"Leite creme", sobremesa muito tradicional portuguesa

“Leite creme”, sobremesa muito tradicional portuguesa

Dia seguinte, fomos então conhecer as famosas vinícolas que ficam em Vila Nova de Gaia, em frente a cidade do Porto, do outro lado do rio Douro. Decidimos ir primeiro até a Taylor’s, por indicação de amigos e reportagens que li. Uma super estrutura para receber turistas. Um tour bem organizadinho, mas infelizmente peguei em inglês e perdi alguma coisa. Além do que, o grupo era grande e terminei um pouco dispersa. Degustamos 3 vinhos do Porto: um branco, mais gelado, logo de entrada; depois um tinto do tipo clássico Ruby, que são armazenados nos “balseiros”, imensos tonéis de madeira, que guardam em torno de 30 mil litros de vinho; e um terceiro, tinto, clássico do tipo Tawny, que são armazenados em barricas de carvalho, normalmente francesas. Ficamos aí já maravilhados. Vinhos frescos, com sabores frutados e amadeirados que desconhecíamos, pois só lembrávamos daqueles vinhos guardados nos armários há tantos anos por nossos avós…

Degustação de vinhos do Porto na Taylor's

Degustação de vinhos do Porto na Taylor’s

Vinhos do Porto da Graham's

Vinhos do Porto da Graham’s

 

Segundo dia foi a vez do tour na Graham’s, que valeu cada gota de suor que derramamos, pois pra chegar lá a pé foi complicado, kkkkk. Escolhemos um tour que incluísse uma degustação mais especial: um six grapes reserve, um tawny 10 anos e um tawny 30 anos. Ai, ai, ai…. caí de amores…. Todos divinos e maravilhosos, quanto tempo perdi meu Deus!!!

Barricas de carvalho francês abarrotadas de vinho do Porto (Tawny)

Barricas de carvalho francês abarrotadas de vinho do Porto (Tawny)

Mas a glória veio depois, quando fomos ao Café Majestic, tradicionalíssimo e imperdível na cidade, e pedimos uma “rabanada” e um “toucinho do céu” acompanhados de vinho do Porto Tawny 10 anos… surreal!!!! A sobremesa se já era maravilhosa ficou muuuito melhor com aquele Porto mágico!!!

Rabanada do Cafe Majestic, em Porto

Rabanada do Cafe Majestic, em Porto

No próximo post não percam!! Um delicioso jantar num restaurante contemporâneo do Porto.