Arquivo de Tag | Basilique Notre Dame

Viagem ao Canadá – Montreal – 1º e 2º dias

Christ Church Cathedral – Centro de Montreal

Na sequência, deixamos Quebec, passamos pela bela Cachoeira de Montmorency e fomos para Montreal, onde entregamos o carro que havíamos alugado em Toronto. Ficamos 3 dias lá e foi o suficiente para conhecermos o que há de melhor e mais interessante na cidade. E digo pra vocês, sem dúvida alguma, o que mais me marcou em Montreal foram nossos queridos anfitriões Mario e Dominic, donos da pousada “Aubergell“, do tipo Bed & Breakfast. Em seu site, o albergue é assim apresentado: “Affordable and cozy, Aubergell Bed & Breakfast, formerly known as Auberge l’un et l’autre, is a renowned part of the heritage of the gay village of Montreal since 1990”. Nosso quarto era bem pequeno, até porque escolhemos pela internet o quarto mais em conta, porém muito bem equipado e de muuuito bom gosto. O Mario cuidava de cada detalhe. Até da trilha sonora!! 😉

Nossos anfitriões: Mario e Dominic

Nosso hotel (Aubergell) em Montreal era encantador

E o Dominic era um espetáculo na cozinha! Aaaahhh não esqueço nunca mais!! Primeiro café da manhã, servido na sala do apartamento onde eles moram (no andar abaixo do nosso quarto) foi um espetáculo e eu não me perdoei por não ter levado a minha câmera: taça de iogurte com frutas vermelhas, suco de laranja, muffins, chocolate quente e um sanduíche feito na hora, com presunto, ovos, salada. Demais! Fora que o apartamento deles é super bem decorado e a gente se sente em casa. No segundo dia, levei câmera para o café da manhã, claro, e avisei pra eles que iria colocar no meu blog, rsrsrs. Dominic nos serviu uma torrada especial e caseira, com iogurte e frutas vermelhas, chocolate quente, e um lindo prato de omelete com cogumelos frescos. E o prato era de se comer com os olhos!!!

Café da manhã delicioso do Aubergell

Mas vamos à Montreal, hehehe. Fizemos uma primeira caminhada pela Rue Sainte-Catherine, que corta toda a cidade, de leste a oeste, mas nesse primeiro momento não fomos muito além das proximidades de nosso hotel, queríamos fazer um reconhecimento, ver onde estavam os supermercados, restaurantes, etc. Ficou óbvio que estávamos realmente em área voltada ao público gay, pela decoração da rua e os diversos tipos de publicidade. Fizemos um tour, curtimos o “ar festivo”, descontraído e cheio de restaurantes e bares. Como já era final do dia, terminamos tomando um chopp e comendo uma pizza na “Piazzeta“, indicado inclusive pelos nossos anfitriões. Pizza bem fininha, com queijo blue, pinoles, linguiça e cebola caramelizada….

As diversas cores da Rue Sainte-Catherine, Montreal

Dia seguinte fomos conhecer a imperdível, realmente imperdível, Basilique de Notre-Dame, do séc. XVII, na “Vieux-Montreal”, parte mais antiga da cidade. Absolutamente linda. Por fora ninguém diz nada, mas por dentro… 😯 É mágica. Seu altar principal é belíssimo. O órgão, no alto, com o azul das paredes e do teto por trás, era maravilhoso. Recomendo demais.

Basilique de Notre-Dame

Caminhamos até Chinatown, bairro chinês. Costumo sempre dar uma xeretada nesses lugares, sempre vemos coisas incríveis. Entro naquelas lojas de bugigangas e sabe como é… tem sempre algo criativo pra levar pra casa. Mas o que nos chamou mais atenção foi uma “vitrine” de um restaurante, onde um chinês preparava na hora uns macarrões, em segundos, só usando as mãos, esticando, dobrando, esticando, dobrando, e depois cortando e tchum! dentro da panela fervente. Impressionante. Parecia desses ilusionistas que vemos na tv hehehe. Depois de muito andar pra lá e pra cá, escolhemos um restaurante que servisse pato laqueado (Restaurant Ethan), mas devido ao preço alto do prato, optamos por um mais simples, o “canard rôti” (pato assado) e uma entrada de rolinhos fritos de legumes. Nada excepcional.

Portal de entrada do bairro chinês e Restaurante Ethan

Por fim fomos conhecer a cidade subterrânea de Montreal, que eles chamam de “Réso” ou “La Ville Souterraine”, um verdadeiro labirinto de corredores, com muitas lojas e praças de alimentação. São mais de 30km de túneis, mais de 1.200 lojas e mais de 200 restaurantes, conectados também a outros prédios, como bancos, universidades, escritórios, etc. Uma cidade embaixo da outra. No inverno, mais de 500 mil pessoas circulam por lá diariamente. Incrível não é?!!

De volta pra casa, paradinha para comer um crepe “fantastique” de banana com Nutella. Fiquei assistindo o cara fazer, babando…. muito bom!

Depois foi só passar no supermercado e comprar nosso jantar: pão, queijo, salame, vinho, coca cola. Corremos pra varandinha de nossa pousada, ao lado de nosso quarto, reservada só pra gente, friozinho de 12°, não queríamos mais nada…

Nossa varandinha “particular” no Aubergell

Próximo post, 3º e último dia em Montreal! E depois, você vai se encantar com a impressionante região das Montanhas Rochosas!

Ah, e quem ainda não leu as minhas dicas do Canadá, explorem os posts anteriores nos links abaixo:

 

Anúncios