Arquivo de Tag | American Falls

Viagem ao Canadá – Cataratas do Niágara

O Rio Niágara nasce em um Lago (Erie) e desemboca em outro (Ontario) e demarca fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos naquele trecho. Num certo ponto, o rio se bifurca (na Goat Island) e cai em duas enormes cascatas, uma do “lado canadense”, formando as famosas e impressionantes “Niagara Falls” e a outra do lado norte-americano, bem menores, as “American Falls“. Do centro de Toronto até lá são 140km, o que nos permitiu fazer um bate-volta e de quebra ainda conhecer a pequena cidade pitoresca de Niagara-on-the-Lake.

Nesta panorâmica, vemos em primeiro plano as Niagara Falls e ao fundo as American Falls

Deixamos Toronto cedo, o dia estava lindo, para nossa sorte. Chegamos rapidamente em Niagara Falls, sem engarrafamentos. A cidade é bem turística, tem inclusive Hard Rock, lojas e muitos hotéis. O estacionamento para visitantes estava bastante vazio ainda. Deixamos o carro e fomos ver a cachoeira. É impressionante o volume de água… As informações que encontrei na internet são controversas, mas segundo o Google, o volume é de 2.400 m³/seg, vocês têm noção? É o mesmo que 2 milhões e 400 mil litros de água por segundo!! Este volume é alterado conforme a época do ano.

Niagara Falls

American Falls

As águas do Niágara são cristalinas, mas geladas, rsrs. Ficamos bastante tempo ali, curtindo a paisagem. Depois resolvemos fazer a Journey Behind the Falls, que consiste num labirinto de túneis escavados na rocha, por trás das cachoeiras. É bem interessante. Há um local, saindo de um dos túneis, que você fica ao lado da catarata, de forma que dá pra sentir toda a energia e a força da natureza. É bem legal.

Depois encaramos o Hornblower Niagara Cruise, um barco que sobe o rio contra a corrente e nos leva até bem pertinho da cachoeira. É bem emocionante! Eles te dão uma capa plástica para se proteger do inevitável vapor de água, mas sair molhado faz parte dessa aventura. Só toma cuidado com a máquina fotográfica ou celular…

Hornblower Niagara Cruise

Depois de tanta aventura, hora de comeeeeer!!! \0/ \0/. Eu já havia decidido antes de ir para Niagara Falls onde iríamos almoçar. Mas confesso que foi mais pelo visual, que pela comida, rsrsrs. É que lá também não iríamos encontrar coisa muito melhor mesmo. Fomos ao Elements on the Falls, um restaurante imenso, com uma enooorme janela de vidro com vista para as cataratas. Um encanto almoçar olhando aquela beleza toda. Pedi um hambúrguer e uma cerveja local. Nada mais típico, rsrs. Eu queria na verdade comer um hambúrguer de bisão (uma espécie de búfalo), mas eles tinham retirado este item do cardápio 😦 .

Depois do almoço, pegamos o carro e fomos na cidade Niagara-on-the-Lake, muito charmosa, situada no encontro do Rio Niagara com o Lago Ontário, preserva em sua arquitetura seu passado colonial inglês. Uma fofura. As casas, os jardins bem cuidados, as charretes, os pubs e diversas lojinhas, docerias, restaurantes. Ao longo do caminho até lá, passamos por muitas vinícolas.

Niagara-on-the-Lake

A região é famosa pela produção de vinhos, em especial, do “ice wine”, vinho produzido a partir de uvas congeladas, próprio para acompanhar sobremesas. São vinhos caros porque rendem muito pouco (maior parte da água contida na uva fica de fora, por estar congelada). Resulta num vinho muito doce e ácido. DE-LI-CI-O-SO. Vá por mim. Vale a pena cada gotinha. Tanto é que na volta, no free shopping de Toronto, compramos 3 garrafinhas pra trazer pro Brasil. E só vou tomá-los numa ocasião muito especial. Eu já havia experimentado uma vez na Alemanha (onde esse tipo de vinho começou a ser produzido) na viagem que fizemos pelo Rio Reno. Até trouxe uma garrafa de lá (que até hoje está na minha adega e não tive coragem de abrir, rsrsrs). Dá uma pena de tomar…. O Canadá ocupa hoje o lugar de maior produtor mundial de ice wines.

Loja vende ice wines em Niagara-on-the-Lake

Na simpática cidade de Niagara-on-the-Lake, comi apenas uma deliciosa tartelete de nozes. E comprei a minha garrafa de vinho, além de pão, queijo e presunto para garantir nosso jantar no apartamento de Toronto. Ah, levei uma mini garrafinha de ice wine para acompanhar nossa sobremesa: biscoitos feitos com “maple syrup” (ou “sirop d’érable” em francês), famoso xarope extraído da seiva da árvore conhecida aqui no Brasil como plátano (aquela da folha-símbolo do Canadá, que está em sua bandeira nacional). Combinação delícia!!

Tartelete de nozes, biscoitos de “maple syrup” e ice wine

Se você ainda não leu meu primeiro post sobre Toronto, veja aqui. E no próximo post, não perca as dicas da impecável capital do Canadá: Ottawa!!

Anúncios