Arquivo de Tag | almoço de domingo

Bacalhau de forno com creme de leite

Esta Páscoa passei em casa, tentando descansar da semana anterior, que como eu havia anunciado, passamos na Chapada dos Veadeiros em Goiás. Sim, foram 6 dias de aventura, entre trilhas, cachoeiras e trombas d’água, rsrs. Depois faço um post aqui contando os principais passeios que fizemos e da excelente experiência gastronômica que tivemos lá. Hoje vou trazer, tardiamente é verdade, mas que pode ser feita a qualquer tempo (não necessariamente na páscoa), uma receita de bacalhau de forno com creme de leite super fácil. Também fiz um pernil de cordeiro, mas como já postei aqui no blog uma receita de pernil há uns 2 anos atrás, não vou me repetir! Se quiserem conferir a receita, basta clicar aqui.

Bacalhau de forno com creme de leite

Ingredientes:

(Dá para 4 pessoas com fome!)

  • 1 kg de lombo de bacalhau dessalgado (caso compre salgado, serão necessárias pelo menos 48 horas para dessalgá-lo, com várias trocas de água)
  • 500 ou 600 ml de leite
  • 5 batatas médias
  • 1/2 pimentão vermelho
  • 1 cebola roxa
  • 5 dentes de alho
  • 10 unidades de azeitonas pretas
  • 500ml de creme de leite fresco (o sabor é muito superior ao de caixinha, mas se quiser usar o de caixinha…)
  • 50 g de queijo parmesão ralado
  • azeite q.b.
  • noz moscada q.b.
  • sal e pimenta do reino q.b.

Modo de preparo:

1. Corte os pedaços de lombo ao meio e coloque-os em uma panela funda, cobrindo-os com o leite. Leve ao fogo e deixe ferver. Aguarde uns 10 minutos, desligue o fogo e escorra. Deixe esfriar. Depois com as mãos retire pele, espinhas remanescentes, e parta-os em lascas grandes.

2. Descasque as batatas e corte-as em 8 partes (no sentido mais comprido, divida em 2 partes, depois em 2 partes outra vez, e por fim, em mais 2, o que dará 8 pedaços cada batata). Leve para cozinhar em água com sal e deixe-as “al dente” (não cozinhe totalmente, deixe um pouco durinha). Escorra e reserve.

3. Corte a cebola ao meio e depois corte em fatias finas. O pimentão em tiras, os dentes de alho em fatias finas também, e as azeitonas em pequenos gomos, retirando o caroço.

4. Numa panela, leve azeite e refogue a cebola, depois acrescente o pimentão vermelho e o alho. Refogue mais uns 5 min e desligue o fogo.

5. Misture num bowl o creme de leite com um pouco de sal, noz moscada e pimenta do reino.

6. Pré aqueça o forno a 200°.

7. Numa travessa tipo pirex, arrume as batatas e as lascas de bacalhau, depois o refogado de cebola, pimentão e alho, as fatias de azeitonas. Deixe mais ou menos tudo misturado e distribuído pela travessa. Por fim, acrescente o creme de leite, e o queijo parmesão por cima.

8. Leve ao forno e deixe uns 30 ou 40 min, suficiente para terminar de cozinhar as batatas e o sabor do refogado ser absorvido pelo molho e pelo bacalhau.

Sugestão de acompanhamento: farofa de banana ouro e arroz negro, que além de “causar” (é muito mais chique!), é super nutritivo, tendo em vista que é um arroz integral. Eu normalmente compro o nacional, da marca Ruzene. Mas também já usei da marca italiana La Pastina e também achei excelente. As instruções de preparo desse arroz, está na própria caixa. O ideal é cozinhá-lo na panela de pressão.

Só pra vcs terem uma ideia, no site www.saude.abril.com.br há uma matéria em que é questionado o que é melhor, se o arroz integral ou o arroz negro. Vejam a resposta: “O placar não mente: o arroz negro ganha de lavada. Eles têm mais potássio, cálcio e magnésio, além de um teor caprichado de fibras. “Essas substâncias tornam a absorção de nutrientes mais lenta, o que evita picos de glicose no sangue e aumenta a saciedade”, informa a nutricionista Elaine de Pádua, diretora da DNA Nutri, em São Paulo. Estudos ainda indicam que o arroz negro esbanja antocianinas. “Elas impedem o acúmulo de placas nas artérias, principal fator por trás de ataques cardíacos”, esclarece a especialista”.

Arroz negro é saboroso e nutritivo

E como se não bastasse, tem mais proteína também. E eu acho ele bem mais saboroso que o integral tradicional. Mas como tudo na vida, há os prós e os contras: ele é beeeeeem mais caro e demora muuuito mais pra ficar pronto. Média de preço do quilo no mercado é entre R$ 20,00 e R$ 40,00. No site da própria Ruzene, o pacote de 1kg está custando R$ 23,00, mas não sei quanto custa o frete.

Com arroz negro, também já fiz risoto de lulas, ficou maravilhoso. Ele cai super bem com frutos do mar, na minha opinião. Experimentem e me digam! Até a próxima!

 

 

 

 

Anúncios

Almoço de domingo para os padrinhos do casamento de meu enteado

Domingo passado eu realizei uma grande façanha: preparar um almoço para quase 30 pessoas.

IMG_2197Sempre que preparo jantares ou almoços em minha casa, costumo convidar até 12 pessoas, talvez 15, mas jamais me aventurei a cozinhar para 20, e nunca imaginei que conseguiria encarar 30!! Mas sempre há uma primeira vez e eu não poderia deixar de atender ao pedido de minha futura nora, Amanda, e do meu enteado, Rodrigo, pessoas de quem tanto gosto. Os convidados eram todos padrinhos, madrinhas, maridos, namoradas, etc, do casamento deles, que se realizará no dia 01 de outubro deste ano.

Para facilitar as coisas, resolvi escolher um prato relativamente fácil de fazer, um strogonoff. Mas um strogonoff no “capricho”, com direito, a ingredientes como páprica, champignons e conhaque. De acompanhamento, escolhi um arroz de açafrão, uma musseline de batata baroa e uma salada, esta última preparada por Hilda, a mãe da Amanda. Tudo ficou perfeito, felizmente. Ao menos, foi o que concluí, tendo em vista que não sobrou quase nada!

IMG_2268

 

Modo de preparo do Strogonoff

Para preparar o strogonoff, eu cortei em tiras pequenas 10kg de carne (file mignon), piquei 10 cebolas médias, uns 15 dentes de alho, bastante cheiro verde, separei um pouco de páprica, pimenta do reino, sal, 1,5kg de champignon em conserva picados em fatias, 2 latas de tomate pelatti, 200g de ketchup, 1 xícara de conhaque, 1 litro de creme de leite fresco, 1 caixinha de creme de leite.

Primeiro fritei toda a carne, aos poucos, numa frigideira com óleo quente. Temperei (depois de frita) esta carne com pimenta do reino, sal e páprica. Depois levei ao fogo o alho, cebola, e champignons com azeite. Acrescentei a carne, o conhaque e deixei secar um pouco. Depois coloquei os tomates pelatti batidos no liquidificador, com o próprio suco, o ketchup, e por último os cremes de leite. Para finalizar, o cheiro verde. Está pronto para servir.

Uma delícia com a musseline de baroa. Faça um purê de baroa (mandioquinha), não esquecendo de colocar um pouco de noz moscada e creme de leite fresco. Depois passe num multiprocessador, deixando-o bem macio.

Sirva ainda um arroz de açafrão. A salada é fundamental para contrabalançar, rsrsrsrs. Ah! servi também aquela batata palha “extra fina” da Yoki que combinou perfeitamente.

IMG_4851

IMG_4854

 

Todos os comensais!

Todos os comensais!