Gramado – Parte 1

Matriz de São Pedro, Cascata do Caracol e estátuas dos apóstolos em Gramado-RS

Matriz de São Pedro, Cascata do Caracol e estátuas dos apóstolos em Gramado-RS

Entre os dias 06 e 12/09, estive em Gramado com meu marido e meus sogros. A última vez que eu havia estado lá foi há uns 8 anos. A pequena cidade da Serra Gaúcha, com algo em torno de 35 mil habitantes, é cheia de charme. Principalmente no inverno, quando seus chocolates, fondues e vinhos ganham vida! aaaaaiiiii…. aproveitamos bastante! E eu trouxe dicas boas para quem ainda não esteve lá!!

A começar pelo nosso hotel, o Recanto da Serra. Super bem localizado, próximo ao centro (5 a 7 min a pé) e ao mesmo tempo, num local reservado, super tranquilo. E com um supermercado completo a 50m. Tem bastante área verde, piscinas (uma delas aquecida), uma pequena sala de ginástica, spa, um pub, e um grande salão de café da manhã, que por sinal, era muito bom. Meus sogros tiveram problemas no aquecimento da cabana onde eles ficaram, mas no “apto luxo” em que fiquei, só tenho elogios. Afora que os funcionários foram todos muito simpáticos, atenciosos e prestativos. Recomendo.

Hotel Recanto da Serra, próximo ao centro de Gramado

Hotel Recanto da Serra, próximo ao centro de Gramado

Em nosso primeiro dia na cidade, fomos rodar pelo centro, incluindo a rua Coberta, a Igreja de São Pedro e toda a Avenida Borges de Medeiros, a principal, repleta de lojas, restaurantes, chocolaterias, hoteis, etc. A Prawer é uma das fábricas de chocolate mais famosas de lá. A loja é sedutora, para quem é chocólatra. Como não sou, me limitei a comprar umas amêndoas cobertas de chocolate e cacau que estavam ma-ra-vi-lho-sas, tenho que confessar.

Loja de chocolates Prawer, observem os "salames" e "queijos" de chocolate

Loja de chocolates Prawer, observem os “salames” e “queijos” de chocolate

Cascata do Caracol, próxima a Canela.

Cascata do Caracol, próxima a Canela.

Neste dia, segui sugestão de uma amiga e fomos almoçar no excelente restaurante Bouquet Garni. Era um esquema de “menu confiance”, com entrada, prato principal e sobremesa. Tínhamos cinco opções de pratos principais: dois de filé mignon, dois de peixe e um de cordeiro . O ambiente é aconchegante, de frente para um lago, e o serviço do restaurante era ótimo. Super recomendo. Para uma descrição completa do nosso almoço (com fotos dos pratos e do Chef, rsrs) veja em outro post que escrevi aqui no blog em críticas gastronômicas.

Em nosso segundo dia de viagem fomos visitar a vizinha Canela (programa obrigatório!!) incluindo a Cascata do Caracol, uma belíssima cachoeira, localizada dentro do Parque Estadual do Caracol. Como eu estava acompanhada dos meus sogros, não fizemos a descida da escadaria que leva o visitante até bem próximo da cachoeira. Nos limitamos a olhá-la de cima. Subimos inclusive, em um mirante (pago por fora), que dá uma visão um pouco mais ampla do parque.

Há um teleférico também, que você tem que ir de carro, fica fora do Parque (seguindo a mesma estrada), que dá vista para a cachoeira também, mas de um outro ângulo, mais distante um pouco, que achamos não ter valido o custo x benefício.

Mas a maior descoberta que fiz é que além da belíssima cachoeira e de toda a natureza em volta, há um outro motivo para não deixar essa visita de fora de seu roteiro. Pertinho dali, na mesma estrada, há o “Castelinho Caracol“. Trata-se de uma casa pertencente à família Franzen. Foi uma das primeiras residências de Canela, construída entre 1913 e 1915, toda em madeira, com um sistema de encaixes que não utilizava pregos. A casa fica aberta para os visitantes, que podem ver alguns dos cômodos ainda bem conservados, com objetos da época e fotografias da família na parede. Na cozinha, o fogão é o original, centenário, lindo.

Castelinho Caracol, uma de suas salas bem conservadas e o centenário fogão...

Castelinho Caracol, uma de suas salas bem conservadas e o centenário fogão…

Este lugar guarda uma maravilha gastronômica imperdível: o apfelstrudel com nata. É um doce originário da Áustria, com massa folhada e maçãs. Ficou muito popular na Alemanha também e em toda a Europa. Na minha última viagem para o interior da Alemanha, no ano passado, comi muitos apfelstrudels, e juro, nenhum tão gostoso quanto este…

Apfelstrudel do Castelinho Caracol, imperdível

Apfelstrudel do Castelinho Caracol, imperdível

Outro passeio maravilhoso que fizemos, não perca o post, foi o da Maria Fumaça, em Bento Gonçalves!!

 

 

Anúncios

Um pensamento sobre “Gramado – Parte 1

  1. Pingback: Gramado – Parte 2 | Na mesa com Lu Hazin

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s