Grécia e Turquia

Em 2010 nós fizemos uma viagem muito legal para a Grécia e Turquia. A Grécia ainda não estava em “crise” como nos dias atuais, embora tenhamos presenciado uma greve de taxistas, o que nos forçou a pegar um ônibus do hotel até o aeroporto, na cidade de Irakleio, capital de Creta. Mas diante de todos os encantos daquela terra (e não há viagem tão perfeita que não tenha contratempos) este detalhe até passou despercebido. Hoje vejo na tv aquela “guerra” nas ruas de Atenas, e penso que se trata de outro lugar e outro povo, muito diferente daquele que conheci. O mundo é uma roda viva eterna…

O Partenon, na acrópole de Atenas

A Turquia é um país muito rico, multicolorido e pitoresco. A religião é muito predominante e as tradições culturais são milenares. É uma cultura tão diferente da nossa. Istambul não é a capital do país, mais é a maior cidade, com mais de 13 milhões de habitantes. Parte dela é na Europa e parte na Ásia. O Estreito de Bósforo separa as duas partes (é a única cidade do mundo que ocupa dois continentes). Observei uma vida intensa nas ruas, muito comércio, pessoas rindo, comendo, comprando, alguma mesquita tocando sua música altíssima, convidando os seguidores do islamismo a rezar. Aliás, eu li que na Turquia não há uma religião “oficial”, ou seja, há liberdade religiosa (existem cristãos, judeus, entre outros), mas pode-se dizer que a maioria esmagadora é mulçumana, tipo 98%. Daí tantas mesquitas espalhadas pela cidade, algumas são simplesmente hipnotizantes. Este é o termo. Por vários motivos: pela beleza dos azulejos pintados, pela música, pelos frequentadores devotíssimos, ajoelhados no chão, as mulheres com as cabeças cobertas (aliás, temos que deixar os calçados do lado de fora e cobrirmos a cabeça, se quisermos entrar numa mesquita).

Interior da Mesquita Azul, em Istambul – Turquia

Mas eu não estou aqui pra conversar sobre religião, nem política. Existe algo muito mais importante! A gastronomia maravilhosa desses dois países. Em alguns preparos encontrei fortes semelhanças com a comida árabe que eu conheço (ora, a Síria, o Líbano e Israel, estão todos ali coladinhos, e a cidade natal de meus avós, Bethlehem, pertinho de Jerusalem, é praticamente um “salto” até Istambul). O fato é que pude experimentar em versão turca e grega, os famosos charutinhos de folha de uva, a moussaka, o pão “pita” com carneiro fatiado em lâminas (kebab), coalhadas, zaatar, as “baklavas” maravilhosas, com recheios diversos, etc. Na Grécia, além dessas delícias todas, ainda usufruimos de sua situação e exploramos os frutos do mar, preparados de diversas maneiras. Destaque para um prato que comemos na ilha de Mykonos, à beira de um mar cristalino, de um céu azul intenso e com vista para graciosos moinhos de vento.

Moinhos de vento em Mykonos, a partir do restaurante Venezia

Frutos do mar para dois, no “Venezia”, em Mykonos

Mas nem tudo foi assim tão perfeito. Certa vez, na ilha de Santorini, meu marido comeu tanta azeitona (daquelas carnudas irresistíveis) que teve uma séria indigestão e passou a noite em claro. No dia seguinte, nem uma maravilhosa coalhada no café da manhã foi capaz de apagar do seu rosto aquela aparência “zumbi”. Portanto, é preciso ter parcimônia com as guloseimas com as quais não se está acostumado, mesmo com as que pareçam inofensivas. Isto agora me fez lembrar do que sempre dizemos quando alguém bebe muito na noite anterior e acorda passando mal: “foi aquela azeitona que vc comeu…”.

Em falar em azeitona, é im-per-dí-vel o Mercado de Especiarias de Istambul. A mistura de cheiros dos milhões de temperos é atordoante. Ninguém resiste e termina sempre comprando alguma coisa. Eu comprei folhas de uva, que são embaladas a vácuo na hora, azeitonas de três tipos diferentes, açafrão iraniano (considerado o melhor), pistaches e pimenta síria.

Mercado de especiarias de Istambul

Foi uma bela viagem. Ficará na minha relação de “favoritas”. Cabe aqui depois um outro post, com algumas receitas relacionadas. Aguardem!

Ah, uma outra aventura indescritível na Turquia que não deve deixar de ser feita, é o passeio de balão na Capadócia. Eu fiquei simplesmente encantada. É tudo muito mágico. O voo sai às 6h da manhã, o dia amanhecendo, o frio cortante, o coração aos pulos por conta da altura, do silêncio, do inusitado… simplesmente o máximo.

Confiram as fotos abaixo!!

“Baklava” de pistache e mel, em massa folhada…. sem palavras

Charuto de folha de uva acompanhado de coalhada

Moussaka em Agios Nikolaos, na Ilha de Creta – Grécia

“Kebab” em Istambul

Tipo de Zaatar (especiarias misturadas em pó) com pão caseiro, azeite e manteiga, na Capadócia, Turquia

Balões partem com o dia amanhecendo na Capadócia, terra natal de São Jorge

Delicioso prato que comi em Istambul, no restaurante Turquoise, com carneiro, frango, banana, batata. Cremoso tipo estrogonofe

Anúncios

2 pensamentos sobre “Grécia e Turquia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s