Oaxaca – México

Oaxaca (se pronuncia Uarráca) tem seu charme. É uma cidade que guarda uma herança forte do período colonial. As ruas do seu centro histórico são de pedra e as casas são tipicamente dos séculos 16 e 17, com terraços internos, fontes, arcos, colunas. As fachadas são coloridas, as janelas grandes, com grades de ferro trabalhadas. Lembrou-me um pouco o casario de Olinda…

Rua do centro histórico de Oaxaca - México

Rua do centro histórico de Oaxaca – México

oaxacaA cidade tem origem na antiga civilização Zapoteca, oriunda dos Olmecas… que remetem a alguns séculos antes de Cristo… enfim…  o mais interessante de tudo é que a influência cultural adquirida dos espanhóis conquistadores se misturou às suas origens indígenas, resultando em uma cidade culturalmente rica, bem preservada e que guarda a identidade de seus antigos moradores, com seus dialetos próprios, festas e tradições folclóricas, crenças, costumes e, felizmente, a gastronomia.

No dia que chegamos em Oaxaca, almoçamos num restaurante super bem localizado no Zócalo, num primeiro andar, com vista para a praça principal e sua catedral. O nosso garçom também era muito simpático e nos sugeriu de entrada “Tacos fritos de picadillo”, que são tacos recheados de carne de porco picada com “mole negro” ou “mole poblano”, molho feito com um chili típico do local. Eu diria que é um sabor exótico e que vale a pena experimentar. Li numa reportagem que leva mais de 20 temperos diferentes, inclusive chocolate (!!!!!). Tem um sabor ao mesmo tempo picante, doce e salgado. De principal, nos recomendou o “Plato de La Casa – Tasajo, enmolada, chile relleno, frijoles en pasta, guacamole, queso y cebolla asados”, ou seja uma mistureba de iguarias locais. O queijo assado é muito parecido com nosso queijo coalho e os frijoles, parecem muito com o nosso ‘tutu de feijão’, patrimônio mineiro.

"Tacos fritos de picadillo"

“Tacos fritos de picadillo”

"Plato de la casa"

“Plato de la casa”

Durante uma excursão que fizemos, visitamos uma instalação familiar de fabricação de tapetes, onde nos foi mostrado como extraem cores diversas da natureza (flores, caules, frutas, etc) para tingir a lã, retirada dos carneiros e depois transformam em tapetes e caminhos de mesa de cores e estampas pra lá de variadas.

Artesãos exploram as “tintas” da natureza para tingir os tapetes em Oaxaca

Também há uma bebida local chamada Mezcal, fabricada a partir da Agave (ou Maguey, uma espécie de cacto), cuja técnica de produção é milenar, e que passa pelo cozimento dos bulbos da planta (parecem grandes abacaxis), fermentação e posterior destilação. E tudo é ainda feito de modo artesanal. É nesta bebida que encontramos o famoso “verme” no fundo da garrafa, comprovando que seu teor alcoólico é capaz de conservá-lo intacto. Só não dá pra encarar comê-lo no finalzinho… Aaaaarrrrrrrrrrrgh!!!!!! Mas degustamos diversos licores de fruta (morango, coco, pêssego, manga…) , feitos com o mezcal e terminei por comprar um de “guanabana”, que nada mais é do que nossa querida graviola.

O “Mezcal” produzido em Oaxaca a partir da Agave

O “Mezcal” produzido em Oaxaca a partir da Agave

Tive oportunidade também de experimentar uns doces, num buffet turístico que fomos no dia em que realizamos a excursão fora da cidade. Não sei se era porque era restaurante “beira de estrada”,  mas nada me chamou a atenção. As sobremesas dos cardápios dos restaurantes, de um modo geral, não me atraíram. Há alguns sorvetes caseiros, tomamos inclusive um de uma fruta local (esqueci de anotar o nome!). Outra sobremesa que agora me vem à lembrança foi a que pedimos em um restaurante de frutos do mar, ainda na Cidade do México (onde, aliás, comemos mariscos frescos em molho apimentado e polvo empanado), que nada mais era que uma grande panqueca recheada com cream cheese, e acompanhada de rodelas de banana carameladas. Meus filhos irão adorar essa ideia!

Tortilla recheada com cream cheese, bananas carameladas e sorvete de creme

Tortilla recheada com cream cheese, bananas carameladas e sorvete de creme

Sorvete de fruta típica de Oaxaca

Sorvete de fruta típica de Oaxaca

Meu voo ainda não saiu e nem parece que vai sair tão cedo, portanto… vou aproveitar para tomar mais uma “Corona”!!!!!

Anúncios

Um pensamento sobre “Oaxaca – México

  1. Pingback: Na Cidade do México – Parte 1 | Na mesa com Lu Hazin

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s